quinta-feira, 29 de março de 2012

Sorteio de aniversário: Meia Ponta & Capezio

Que tal ganhar de presente a sua primeira sapatilha de ponta? :)

Ballerinas, uma ótima notícia para comemorar o 3o aniversário do Meia Ponta (ainda dá tempo, né?): a queridinha das marcas, Capezio , me deixou escolher um presente para sortear entre vocês!

Como eu sei que um monte de leitora está iniciando o trabalho nas pontas, optei por uma sapatilha. São duas opções (a leitora vencedora poderá escolher o modelo que preferir):

07 Cerrito Estudante

Sapatilha de ponta indicada para alunas iniciantes. Possui largura de forma média e gáspea baixa. A palmilha é flexível e durável. A biqueira é em couro com design exclusivo que se estende até as laterais, facilitando o exercício de elevè e relevè para alunas iniciantes. A forma e o material proporcionam maior conforto na realização de exercícios e ensaios.




183 Partner Student

Sapatilha de ponta indicada para alunas iniciantes e intermediárias. Possui forma larga e gáspea alta. A palmilha é flexível e durável. A biqueira é em couro e quadrada, proporcionando melhor estabilidade no eixo natural da bailarina. A sola é costurada e a sapatilha é confortável.




Como participar:

Deixe um comentário neste post com:

Nome e sobrenome
Sapatilha escolhida
Cidade
*Email
*Ainda não encontrei uma forma inteligente no Blogspot de esconder os emails das participantes, então, assim que o sorteio terminar, eu apagarei os comentários, ok?

Aquelas que não preencherem corretamente o formulário serão automaticamente desclassificadas.

Cada leitora tem direito a um comentário, ok? Nada de lotar a caixa da blogueira. rs


Data do resultado: Segunda-feira, dia 2 de Abril (será divulgado no Facebook e aqui no blog)

Como será feito o sorteio:
Contarei a partir do primeiro até o último comentário e sortearei pelo Random.org.

Entrega da sapatilha:
A bailarina sorteada deve retirar a sapatilha na loja Capezio mais próxima ou em um lojista autorizado. (Tudo será combinado via email). Caso não haja lojas na região, a ponta será enviada para a bailarina via Correios.


"Vale ressaltar que antes de calçar uma sapatilha de ponta, deve-se pedir autorização e orientação ao seu professor. A Capezio não pode definir qual a melhor sapatilha de ponta para seus pés. Além disso, existe o momento ideal para a bailarina iniciar seus primeiros passos nas pontas dos pés. Dance, dance, dance, e chegará a sua vez!"


Curta também a Capezio no Facebook para ficar por dentro das novidades da marca.


sexta-feira, 23 de março de 2012

La Bayadère



Ontem assisti La Bayadère pela primeira vez.

Já havia lido sobre, assistido algumas poucas partes, mas desta vez pude assistir ao ballet inteiro. Prometi a mim mesma que iria organizar minha vida em 2012 para isto e tem dado certo. :)

A versão que tenho aqui é uma da década de 90, encenada na Ópera de Paris, com Isabelle Guerin como Nikiya. Gostei bastante porque é completamente diferente dos clássicos cheios de mocinhas e tutus.

Isabelle Guerin, 1992

É ótimo ver um ballet com referências orientais, completamente diferente. Há cambrés incríveis (ai, minhas costas! eu quero!), passos cheios de malícia, barrigas de fora, figurino e cenários exorbitantes (e olha que estreou em 1877!)... Eu só acho que podia ter ainda menos tutus bandeja! haha O figurino deveria ser todo indiano.


La Bayadère estreou numa época em que a moda (e todos os demais artistas e criadores) estava voltada para o Oriente, o que foi um sopro de ar fresco na Europa. O filme Moulin Rouge também retrata este auge da belle époque muito bem (amo!)


A coreograia é de Marius Petipa e fica boa mesmo no 3o ato (o mais lindo de todos). Antes, disso, é só historinha. E eu gosto de ver ação, dança! haha

É lindo visualmente. Eu adoro um visual, vocês sabem...



domingo, 18 de março de 2012

Três anos de Meia Ponta



Há exatos 3 anos o Meia Ponta surgiu.

Escrevi o primeiro post no dia 18 de Março de 2009, dando início a minha descoberta deste fantástico mundo que é o Ballet Clássico.

Hoje, o blog que começou como um simples e sincero diário já soma 10 mil visitas e 15 mil pageviews por mês -- não só de bailarinas brasileiras, como também de Portugal e dos Estados Unidos.

Eu sempre senti uma estranha identificação com o ballet, como se eu já tivesse vivido nesse mundo. Mas fingia que não era comigo... Até que um filme mudou minha vida e eu não tive mais como fugir.

Sentada na sala escura do cinema, meus olhos esperavam ansiosos por cada cena de Daisy em O Curioso Caso de Benjamin Button. A combinação de uma bailarina com cabelos ruivos e Cate Blanchett foi irresistível. No dia seguinte, já havia encontrado uma escola e comecei, sem medo.

Eu, pela minha amiga, Tati Pomar

Acredito profundamente que quando começamos algo com a cabeça aberta e paixão, nada pode tirar aquilo de nós. Recebo frequentemente recados de meninas que têm medo de começar por causa dos outros, que ficam muito preocupadas na justificativa que terão que dar para os pais, ou o namorado. Em nenhum momento isso passou pela minha cabeça, de tão absurda que é essa ideia. Eu falava com orgulho que tinha começado o ballet e minha própria alegria influenciou todos a verem tudo de uma maneira diferente.
Nunca deixei a palavra "adulta" me diminuir. Sempre pensei grande, sempre conversei com as minhas professoras e deixei claro que a minha idade não diminui minha determinação. Sempre exigi que me tratassem como qualquer outra bailarina, dentro e fora da escola.

Ninguém está na posição de te julgar, ou sentir pena de você porque começou adulta. Pena eu sinto daqueles que não têm coragem de ir atrás do que os faz feliz. Dançar me faz feliz. E mais louco é quem me diz, como na música.


"Nós somos definidos pelas oportunidades. Até mesmo aquelas que perdemos" - quote do filme O Curioso Caso de Benjamin Button


Obrigada pelas visitas, pelos comentários, pelo carinho.
Estamos juntas, ballerinas!


"Some people were born to sit by a river. Some get struck by lightning. Some have an ear for music. Some are artists. Some swim. Some know buttons. Some know Shakespeare. Some are mothers. And some people dance. "

- The Curious Case of Benjamin Button

Os pés de Alessandra Ferri by me! ;)

sábado, 17 de março de 2012

O figurino de Jewels



Conheci este ballet de Balanchine lendo no Dos Passos da Bailarina, da Cássia (ela ama e já postou diversas vezes os videos, para ler/assistir, clique aqui).

Confesso que não sou tão fã do estilo de Balanchine (apesar de reconhecer seu imenso talento e importância, claro). Lembro que, no documentário Ballet Russes, a bailarina Nini Theilade (fofa!) dizia que o coreógrafo se expressava através dos bailarinos. Era o que ele queria, a interpretação que ele acha que devia ser, através do corpo de quem dançava. Cenários, histórias e grandes produções ficavam de lado. E podem me chamar de antiquada ou careta (expressão diretamente dos tempos de juventude da mamãe), mas eu pessoalmente não acho isso muito atraente no palco.





Jewels não tem uma história e pra ser sincera eu fico um pouco enteadiada com 20 minutos de coreografia impecável. Ballet não é circo, né? Sinto falta de um enredo mais redondo. E o fato do cenário ser praticamente nulo também me incomoda de leve (o dos diamantes é o mais bonito). Mas o figurino é especial. Amo os 3, mas talvez o que eu mais goste seja o das Esmeraldas. Amo um tutu romântico!


Com um figurino tão lindo desses (o da montagem mais recente da Ópera de Paris foi feito por Christian Lacroix), dá até pena não ter um cenário complementando. Eu gosto do lúdico, do drama, da riqueza e dos detalhes. E acho que Jewels, apesar da proposta original, decepciona destes quesitos. Afinal, é um ballet sobre jóias.

Há sequências lindas e, tratando-se de Balanchine, muito criativas; diferentes do que costumamos ver nos repertórios clássicos. Vale a pena assistir, claro. Até porque, esta é somente a minha opinião. Mas ele não entrou para o meu top 5...

Achei esse video in-crí-vel do Royal, no qual aparecem todos os detalhes preciosos das peças. Coisa linda de ver! Enjoy.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Carol no País das Bailarinas - parte II

Ballerinas, já está no ar o primeiro video que fiz para a Loja Ana Botafogo, com a própria (leram o post?). Trata-se de um pequeno teaser, só para dar um gostinho do que ainda está por vir. ;)



Gostaram??
Achei engraçado que uma amiga minha que retornou ao ballet recentemente (como adulta), ao ver o video, disse: "Nossa, é tão difícil pra mim fazer um coque que dure a aula inteira! A Ana podia dar dicas!" haha Imagine que legal ia ser, dicas de beauté para bailarinas. Taí uma ideia para os meus posts para o blog da loja.

Pra quem ainda não sabe, além de Twitter, Facebook e um canal no YouTube, a loja lançará em breve neste endereço aqui um blog, que vai ter muita informação boa sobre ballet, com colaborações de vários profissionais. Finalmente, um lugar para tirar as dúvidas que vocês tanto me escrevem! haha

Eu e minha amiga de longa data, Carla Costa, estamos produzindo videos e fotos bem bacanas para divulgar o blog, além da Carla estar trabalhando em um novo layout todo lindo. Estamos super animadas! Afinal, a gente sabe como é difícil encontrar bons sites de ballet em português, né?

Sei que posso estar sendo repetitiva no assunto, mas não é todo dia que algo tão especial assim acontece. Tem sido muito gratificante poder colaborar com um projeto como este e não tem como não divulgar por aqui.



Mass...
estou preparando outros posts, como um sobre alongamento!

Vocês sabem como sou péssima para decorar sequências na barra. Pois bem, também não decoro um exercício de alongamento pra fazer em casa. Não sei nem por que quero ter uma barra em casa! rs Na hora de fazer, sempre dá um branco.

Por isso, tive a ideia de fotografar, durante minhas (dolorosas, mas necessárias) aulas de alongamento Sexta-feira, posições instrutivas para todas nós. Como esta, que a Gabi está fazendo tão bem. Um sonho: minha perna chegar nesta altura atrás. Ao lado, até chega. Mas meu sonho de consumo mesmo é um arabesque perfeito...



Até a próxima ;)

quinta-feira, 15 de março de 2012

Romeu & Julieta no Cinemark



Ballerinas, no dia 22 de Março a rede Cinemark vai transmitir ao vivo, direto de Londres, o ballet Romeu & Julieta! #todasvibra

-Os ingressos podem ser adquiridos no site ou na bilheteria dos cinemas.
-Os valores são R$ 60 (inteira) e R$ 25 (meia).*A meia de R$ 25,00 só vale para cidades onde a inteira é R$ 50,00. Nos cinemas em que a inteira custa R$ 60,00, a meia é R$ 30,00
-Horário: 16h
15 (horário de Brasília) nos cinemas de Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Manaus (sessão às 15h15, no horário local), Porto Alegre, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Salvador, Santos, São Paulo e Vitória

Eu, pra variar, não vou poder ir (por causa do trabalho). Mas corram que deve esgotar rapidinho!


Have fun!

Mais eu


Madrugada passada eu resolvi reler alguns posts do Meia Ponta. E me assustei. haha

É incrível como em dois anos e pouquinho eu já me tornei outra pessoa.


Comecei o ballet com 21 anos e meus textos refletiam uma menina serelepe, pronta pra tudo, curiosa e meio exagerada na maneira de escrever (e a vontade de apagar todos os posts? #perfeccionista). Aos poucos, fui me tornando um pouco dramática, meio amarga (postando sobre pesadelos relacionados ao ballet. Só faltava vestir os red shoes e sair por aí dançando até a morte rs).

Fiquei 6 meses parada em 2011 e agora sinto que estou começando uma nova fase. A alegria de ter voltado e tantas coisas novas que estou aprendendo me motivaram. Sinto-me mais madura e quero fazer posts melhores pra vocês.

Mudei o layout, mudei minha forma de escrever. O Meia Ponta estava meia boca (eu sinceramente sempre me perguntei por que vocês gostavam tanto disso aqui! haha), mas a partir de hoje isto vai mudar.

Continuarei postando em forma de diário, sem pretensões; continuarei sem tempo... A mudança será na qualidade, não na quantidade. E na alma também.

Eu adoro escrever, portanto, preparem-se para alguns longos posts (como o anterior). Aqui, serei muito mais eu.

Digo isto porque agora sou uma das colaboradoras do blog da Loja Ana Botafogo (que lançará em breve, fiquem ligadas), encarregada das partes de ballet adulto e moda. Então, é importante dividir o foco, o estilo da escrita e fazer vocês entenderem que isso aqui é algo muito pessoal e vai continuar sendo. Aqui serei a Carol. Com todas estas nuances...



Dificuldades do dia: Quando você acha que já sabe tudo (do básico), começa a desencaixar o quadril, virar para a diagonal na hora de fazer exercícios na barra e aprende como realmente se executa um changemant.

Boa noite!

segunda-feira, 12 de março de 2012

Todos os encantos


Acabo de ler em um tweet de uma amiga "3 coisas que me encantaram hoje", seguido da lista. Achei interessante a ideia de tentar separar somente 3 coisas que me deixaram encantada no dia de hoje, mas parece ser uma tarefa impossível.

Este dia já estava marcado há um tempo na agenda. Mas assim como uma viagem boa ou um show do Paul McCartney, eu tentei não pensar muito até sua chegada -- mas tentei curtir ao máximo enquanto ele durava. Só que os momentos bons sempre acabam se tornando cenas embaçadas em nossa mente, não é?

Já postei sobre Ana diversas vezes aqui no blog. Há um post do qual gosto em particular, o Botafogo e Ana (me disseram que ele daria um ótimo conto! Pretendo escrever um dia). Mas este a seguir é especial.

Nós ouvimos falar de pessoas como ela desde pequenos. Eu não preciso ser bailarina para saber de sua importância. Antes de admira-la como bailarina, eu já a admirava como brasileira. Assim como a gente admira pessoas como o Ayrton Senna ou Pelé. É uma forma clichê de ver as coisas, mas é a verdade.

E então, me tornei bailarina. E o ballet tem feito tanto por mim que eu nem encontro palavras para descrever. Lembram daquele post-desabafo que escrevi, quase sem fôlego e com muita paixão, sobre a tragédia que é ser bailarina adulta? Tive que controlar aquele tipo de sentimento hoje. Não porque sou uma maníaca, mas porque... gente, eu passei o dia ao lado da Ana Botafogo! E olha que esta não era nem a primeira, nem a segunda vez que eu estive com ela (já a entrevistei para a revista aLagarta, lembram?). Mas é que Ana é o ballet. E o ballet é muito, mas muito querido por mim. Os dois caminham juntos na minha cabeça. Um dos primeiros livros que li foi o dela. E até hoje lembro dos meus olhos enchendo de lágrimas quando a vi subir no palco pela primeira vez.

E lá estava ela, maquiando de roupão. Queria falar demais, perguntar demais... mas estava ali como profissional e profissional eu fui. Ana é a artista mais easy going que já conheci na vida (já fotografei algumas bem frescas por aí) e depois de um tempo, você relaxa. Parecia até mais um trabalho do estúdio, dirigindo mais uma pessoa, como sempre.

A sensação era de um alongamento heavy-metal: cheguei tensa, travada e com medo. Minutos depois, já estava relaxando e no final saí leve e com uma sensação maravilhosa. A gente riu, a gente conversou, a gente brincou com o Puí.

Sou capricorniana, sabe. Eu foco. Porque se não foco, eu me perco. Sabe a coisa de virar a cabeça numa pirueta? Então. Tentei me anestesiar durante todo o processo e agora estou tentando relembrar todos os encantos.

Se eu não focasse, iria me deixar perder no País das Maravilhas, ou melhor País das Bailarinas. Vocês não têm no-ção do corredor cheio de quadros, pôsteres e lembranças da Ana! Resolvi clicar uma souvenir para guardar com todo carinho: uma sapatilha eternizada em tom de cobre -- a coisa mais linda. Guardei a imagem no clique e no coração.

Sabe, a vida me dá oportunidades tão incríveis como esta de hoje, que tudo o que eu faço antes de dormir é agradecer. Eu sou a pessoa mais sortuda do mundo. Tem uma amiga que diz que não faz questão nenhuma de conhecer os ídolos, porque o ser humano é cheio de falhas e ela só se decepcionaria. Mas até a sorte de ter como ídolos pessoas realmente admiráveis eu tenho!

A palavra, na verdade, não é sorte. Porque poder ser artista e criar em conjunto com quem você admira não é mera sorte, não é algo que se tira de dentro de um brinde de Kinder Ovo ou de um pacote de figurinhas. Pra mim, é uma certeza de que o ballet, ainda que tardio, é um dos maiores presentes que eu poderia ganhar nesta vida.

Ah, antes eu tivesse me rendido ao chamado da minha alma, quando aquela sensação de nostalgia me dominava em cada filme, a cada sapatilha dançante que passava na minha frente. Antes eu tivesse começado o ballet aos 11 anos, quando uma menina na aula de jazz me disse que eu tinha os pés perfeitos. Eu me fechei para ele. E hoje, ele mais uma vez, abriu a porta pra mim.

Carla e Ana criando um Gravatar pro blog e uma das lindas orquídeas que estavam espalhadas pela casa.

Puí, o pug da Ana


Coisas que vocês precisam saber para entender este texto:


-A Loja Ana Botafogo vai lançar um novo site, com um blog incrível, cheio de colaborações bacanas.

-Em função disto, eu vim até o Rio para fazer um video surpresa com a Ana, especialmente para comemorar a chegada do blog.

Aguardem ;)

domingo, 4 de março de 2012

5 Dicas para iniciantes nas pontas:


Recomeço meu trabalho nas pontas amanhã (depois de 6 meses, ui!) e tive a ideia de escrever um post com dicas básicas, baseadas nas minhas experiências.

Acho que já contei por aqui que na minha primeiríssima aula de ponta eu sofri tanto, que realmente pensei em desistir. rs Mas depois que troquei de modelo e fui me adaptando, a dor passou a ser menor e mais muscular, digamos assim. E ficou tudo bem.

1-Escolha a sua proteção: Há ponteiras de tecido, silicone, espuma, caseiras (até de saco plástico eu já ouvi falar). No meu caso, como minha Gaynor é do tamanho exato do meu pé, uso esparadrapo, uma dedeira em um dedão e vou com fé.

2-A ponta não deve esfolar seu pé em cada aula (principalmente se você não é profissional, ou não ensaia com frequência). Se isto acontece, converse com sua professora e troque de modelo.

3-Tenha confiança. Na hora de fazer os exercícios não execute os movimentos com medo. Concentre-se, escolha um ponto fixo na parede e gire!

4-Bailarina não precisa ter pé feio (na medida do possível): Faça a unha com uma manicure que você já conheça e de preferência no final de semana (e não um dia antes de uma aula de ponta). Se preferir, há a opção do podólogo. Uma vez por mês já é o bastante.

5-Coque-sempre-impecável. Fios soltos, caindo nos olhos, grampos frouxos... parece coisa boba, mas cabelo mal preso só distrai e atrapalha.

Boa aula, meninas!