sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

A Bela e a Fera



Feliz Natal atrasado para todas as minhas leitoras! Gostaria de ter feito esse post antes, mas estive numa correria doida essa semana. Vamos lá!




O post de hoje é um especial de final de ano. Vou falar da minha paixão pela Disney e pelo musical A Bela e a Fera. A maioria das pessoas param de ver esses desenhos aos 11, 12 anos e acabam se esquecendo deles. Eu nunca esqueci.
Há quem ache que animação é um assunto bobo, ou que é coisa de criança. As pessoas não enxergam os profissionais super talentosos - adultos- que estão por trás desse trabalho. Não importa o quanto me critiquem, ou tentem me convencer de que toda a empresa é uma vilã do capitalismo, ou me lembrem das mensagens subliminares encontradas nos desenhos... sou apaixonada pela história e pela empresa de Walt Disney - e o admiro muito também, como pessoa. Mensagens subliminares existem em tudo quanto é meio de comunicação e se você toma Coca-cola e come no McDonald's, não pode falar mal da Disney. Sem falar que, muitas dessas mensagens não passam de brincadeiras dos animadores (pois os desenhos são feitos por adultos, lembram?).
Temos que aprender a separar as coisas: há pessoas boas e más no mundo, em qualquer lugar, inclusive na Disney. Mas o que importa é a essência, o início de tudo, como Walt Disney construiu seu sonho e as pessoas honestas e de bem que trabalharam e trabalham por trás de tantos desenhos lindos.

Talvez por eu sempre ter sido liga às Artes e à Música, deixei-me levar muito mais por essas obras-primas de Walt Disney e sua equipe. Os desenhos me ajudaram a ser uma menina mais criativa. Aprendi a desenhar com eles, aprendi muito de música e muito de inglês também. Uma tia minha que mora nos EUA trazia alguns VHS pra mim antes de lançarem aqui, então, durante toda a minha infância, assisti Aladdin e A Bela e a Fera em inglês! Só fui aprender as letras em português agora, nesse final de ano, por causa da adaptação do musical feita pela minha escolha de dança. Fiquei muito feliz em poder dançar as músicas, pois A Bela e a Fera é meu desenho favorito da Disney. Sempre me identifiquei com Belle, pois sempre fui a "garota bonitinha, mas estranha", que ninguém entendia bem. As pessoas, tanto da família, como colegas de escola, sempre me olharam com certa curiosidade; fosse a respeito da minha maneira de vestir, ou a respeito dos meus gostos musicais, ou a respeito das minha opiniões. E eu queria sempre algo além... " A girl who's strange, but special" - diz a música da abertura. Ah, as músicas! A Bela e a Fera levou o Oscar de melhor canção e melhor trilha instrumental! Sim! E foi o primeiro desenho animado a ser indicado para Melhor Filme.

Quando eu tinha 15 anos, decidi escrever para o compositor das músicas da Disney dos anos 90 para cá: Alan Menken. Escrevi uma carta elogiando seu trabalho, dizendo como o admirava e como essas músicas fazem parte da minha vida. E ele me respondeu! Mandou uma foto autografada, agradecendo pela carta. Alan Menken (compositor de sucesso, como o musical da Broadway Little Shop of Horrors) compôs as músicas de A Pequena Sereia, A Bela e a Fera, Aladdin, Pocahontas, dentre outros clássicos, em parceria com o letrista Howard Ashman. Se vocês conhecem as letras de Ashman em inglês, sabem do que estou falando. Além disso, o cara dirigia as vozes dos personagens e era um "faz tudo" na produção: opinando em todas as áreas!
A dupla perfeita! E o resultado se vê nas canções... Infelizmente, Howard morreu de AIDS antes de poder ver A Bela e a Fera estreiar e fazer enorme sucesso nos cinemas e, depois, na Broadway. No final dos créditos do filme, a equipe escreveu: "To our Friend Howard, who gave a mermaid her voice and a beast his soul, we will be forever grateful. Howard Ashman 1950-1991" (Para o nosso amigo Howard, que deu voz a uma sereia e alma a uma fera")

[alan menken e howard ashman]

[meu autógrafo do Alan Menken!]

A Bela e a Fera, como diz na própria música-tema do filme, é um conto tão velho quanto o próprio tempo e existe em diversas versões, em vários países. Mas a moral da história é sempre a mesma: a beleza está no interior das pessoas. E isto está muito bem representado na animação da Disney, que superou o sucesso de A Pequena Sereia (desenho visto como o retorno de uma Disney antes adormecida na década de 70, pelas fracas animações que vinha lançando nesta década). Acho que todos deveriam, de vez em quando, se deixar levar pela fantasia e assistir.

Para saber mais sobre A Bela e a Fera, clique aqui.

Desejo uma virada de ano maravilhosa para todos! Beijos

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A segunda apresentação...

Foi mais tensa que a primeira! Não porque estava nervosa, ou porque dancei 3 coreografias... mas porque espetáculos de fim de ano são sempre mais elaborados e confusos no backstage. A primeira parte foi A Bela e a Fera e a segunda, Inanimados. Como já disse antes, dancei de povo da aldeia e de *"passarinho" em A Bela e a Fera; e com taças de vidro com velas acesas dentro na 2a parte.

Não parei quieta nos bastidores! Ajudei meninas que dançavam quase os dois espetáculos inteiros a trocar de roupa e a achar seus objetos de cena. Além disso, uma amiga minha esqueceu de levar suas taças e pediu pra mãe comprar copos para substituir e a outra quebrou uma das taças um pouco antes de entrarmos. Dançou com ela quebrada. Quando subia no palco, meus movimentos eram tão automáticos que nem lembro do que fiz! Lembro só de alguns pensamentos que tive como "ih, quase errei!" ou "cuidado com essa vela na cortina, se não pega fogo!". rs

Foi ótimo. A academia toda unida, todo mundo se dedicando e feliz. Senti como se fosse parte de uma nova família. Amei ter participado de um espetáculo A Bela e a Fera, porque esse desenho é muito importante pra mim. É o meu favorito da Disney... (Estou preparando um post-Disney com A Bela e a Fera em destaque!)

Meu namorado e sócio, Bark, fotografou o espetáculo oficialmente. Não saí em quase nenhuma foto da abertura, porque estava muito lá atrás. Mas na música "Ele foi bom" (Something There- minha favorita do filme) apareci em várias (sou a baixinha de branco):
(*O figurino foi improvisado. Dançamos de vermelho, azul, bege e branco e só no próprio dia que reparei que estávamos com as mesmas cores que os passarinhos nesta parte do filme! Own!)















E eis o vídeo da minha parte no "Inanimados". Meu irmão gravou A Bela e a Fera inteira em um vídeo só! rs Então, não poderei postar. Mas no Domingo vamos apresentar o espetáculo num shopping aqui perto e terei outra chance de filmar! Eba!



E os agradecimentos...:
(Essa de trançinhas que agradece bem no meio é minha querida professora! Natália!)


E como foram as apresentações de vocês??

Beijos em todas e obrigada sempre pelos comentários!

sábado, 12 de dezembro de 2009

A primeira avalização

Hoje fiz minha primeira prova de ballet clássico. Bem, minhas primeiras provas, pois foram duas... Foi um longo dia.
Uniforme impecável, coque bem preso, fios no lugar...
Comecei o dia já cansada, pois ontem fotografei a festinha de 1 ano do meu irmãozinho. Acordei cedo para ir pro RPG e, logo depois, comecei a rotina de trabalho. Às 16h30 cheguei na academia para ensaiar uma coreografia da parte infantil/juvenil da apresentação de final de ano, que como eu comentei anteriormente, terá como tema A Bela e a Fera. Logo após esse ensaio, às 18h, entrei em outra sala para fazer a prova de uma turma de nível básico, um pouco mais avançada que a minha. Minha professora pediu para eu fazer essa prova para ver se eu estou apta a fazer uma aula com essa turma no ano que vem. (Quero fazer ballet três vezes na semana e não poderei fazer com a minha turma de iniciante adulto, pois o terceiro dia só poderá ser nas Segundas-feiras e toda Segunda eu estou no Centro fotografando o Palco MPB com o Bark). Tive algumas surpresas, alguns passos mais elaborados do que costumo fazer, mas no geral acho que me saí bem. Acho, não, pois minha professora confirmou. Como não era realmente a minha prova, fiquei mais relaxada: o que eu acertasse, seria lucro e o que eu errasse não seria mal-visto, pois era um nível acima. Fiquei mais nervosa na hora da minha prova. Errei umas sequências e meu grand jeté foi uma piada - o que não costuma ser. Mas não acho que tenha sido tão ruim também... Só estava muito cansada.

Ser bailarina adulta realmente é um desafio. Fico muito triste toda vez que vou cansada, ou tensa, para o ballet. Minha professora comentou após a nossa prova que aquela era uma turma "livre", que não seria cobrada da mesma forma que as outras, pois ela entende que somos adultos e que procuramos coisas diferentes no ballet, como "musicalidade" ou um exercício físico através do prazer de dançar. Mas pra mim é muito mais do que isso. Não sei ainda exatamente o que é, mas é algo mais forte...

Ficar sem ballet até o dia 2 de Fevereiro será um desespero. rs


Christmas is comming! E O Quebra Nozes também! O vídeo não tem lá qualidade muito boa... mas vale a pena:

domingo, 29 de novembro de 2009

ballerina tips

Estamos em um momento internético muito legal para nós, bailarinas inicantes adultas. A maioria está iniciando o trabalho nas pontas! E além disso, apresentações de fim de ano vêm aí (pelo menos, a minha ainda está por vir) Então, decidi postar algumas dicas beeem legais do livro da Ana Botafogo.


Preparação para a cena:


"Bailarina clássica tem de estar muito bem penteada, não pode ter fio de cabelo caindo sobre a testa ou coque querendo despencar. O cabelo é primordial". - Eu uso coque e cabelo bem preso em todas as aulas. Não entendo como tem bailarinas que fazem com o cabelo meio-solto, ou despencando. Até uma mecha bater no olho em uma pirueta e elas sentirem aquela dor e ardência!



"(...)não é possível aparecer com marcas de maiô em cena. A maquiagem é um dos elementos da dança. Em todos os balés clássicos eu maquio todo o corpo, a fim de ficar com o tom de pele homongêneo. Dá trabalho, mas faz parte da magia do espetáculo."


"Não dispenso gel no cabelo, sempre molho o calcanhar da sapatilha internamente, para aderir melhor ao pé, raspo bem a sola, só corto o cetim da ponta das sapatilhas depois que ele se rasga e coloco tachinhas nas solas, quando acho necessário".

"Para a sapatilha ficar ainda mais resistente, coloco um pouquinho de verniz da ponta, por dentro"

"Nos balés românticos, uso uma calçinha de filó sobre a malha. Se é magia é magia, então devemos ser detalhistas."




Sapatilhas:



"Sempre existem sapatilhas que ficam bem no ponto que a gente gosta. Essas eu faço durar, ponho verniz, as mantenho limpas, conserto, ponho tachas. Quando se quer conservar uma boa sapatilha, é preciso "maquiá-la", porque só lavar não tira a sujeira. Eu passo tinta branca ou pancake."


domingo, 22 de novembro de 2009

novos velhos livros



Semana passada fui fotografar no Centro e aproveitei para passar no sebo que tem livros divinos de ballet! Essas foram minhas novas aquisições: Complete Book of Ballets (uma verdadeira bíblia dos ballets de repertório), um livreto intitulado "Ballet" - que diz ser um guia prático e barato sobre a dança - e um livro de uma bailarina brasileira pré-Ana Botafogo, Ruth Lima; "Dialogismo das Sapatilhas". Ruth era também escritora e publicou outros livros de ballet. O que gostei nesse é que ela mistura experiências pessoais (como aulas com Balanchine) com história do ballet moderno. Ainda não comecei a ler nenhum, só dei uma olhada, mas sei que são ótimos livros. A antiga dona, uma tal de Vera Helena, só comprava livros bons! Tanto nacionais, quanto importados. Os meus outros dois que comprei lá também eram dela. Fico imaginando quem ela era... Uma bailarina nas décadas de 40/50?

Estou lendo Madame Bovary e gosto de dar atenção a um livro de cada vez. Mas assim que começar algum, falo mais sobre!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

minha nova Toshie


Estou muito sem tempo para postar, infelizmente. Mas posso ser breve: comprei minha nova sapatilha de ponta! Com a ajuda das blogueiras e das meninas da comunidade de Ballet Adulto, consegui escolher e acho que escolhi bem: Toshie, da Só Dança. Minha professora até perguntou se não seria muito dura para mim (pois sou iniciante), mas eu disse que havia conseguido subir nela e que as de iniciante da Só Dança me pareceram bem leves e moles, além de confortáveis demais. Escolhi uma caixa mais larga, estou usando uma ponteira de espuma (como minha profa. prefere) e comprei um número maior que o meu, para ajustar certinho com a ponteira. Estou ansiosa para fazer a primeira aula, para ver se vai ser essa maravilha toda! hehe

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Cia. Brasileira de Ballet - D.Quixote


Fomos assistir Dom Quixote com a Cia. Brasileira de Ballet no Domingo passado. Eu, Ana Paula, Anaita e Barbara - meninas cariocas da comunidade Ballet Adulto! FOi ótimo o encontro. É muito bom poder compartilhar dúvidas e alegrias no ballet, com pessoas que te entendem e que passam pelo mesmo que você.

A Cia. é composta por muita gente jovem, de 13 a 20 e poucos anos! São meninos e meninas cheios de técnica, alguns expressivos demais, outros de menos. Acho que presença de palco e feeling é algo que vem só com experiência. Adorei o figurino, mas o cenário poderia ser melhor. Mas no geral, gostei bastante. Foi o primeiro ballet de repertório que assisti!

Algumas fotos que tirei:



quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Sleeping Beauty, Disney e a variação do Pássaro Azul



Estava assistindo esses dias à versão do Royal Ballet de Sleeping Beauty (que dizem ser a melhor do mundo), com a Alina no papel de Aurora. Foi a primeira vez que vi o ballet completo e foi muito familiar, mas estranho ao mesmo tempo, pois conheço a versão de Walt Disney do começo ao fim - versão essa que se baseia na mesma composição de Tchaikovsky. Não conhecia a história do ballet - somente a adaptada pela Disney - até ler o livro da Ana Botafogo. Já ouvi por aí uma vez a original, dos Irmãos Grimm, mas me pareceu tão esquisita que acabei não dando atenção na época.

A versão de Walt tem apenas 3 fadas, o pássaro azul é um mero coadjuvante e a música principal é Once Upon a Dream, que no ballet é dançada pelo corpo de baile e quase passa despercebida. Talvez seja um exagero falar assim, mas como ela é o "carro chefe" do desenho da Disney e eu estava acostumada com isso, pareceu-me pouco importante no ballet.

O troca-troca de músicas em horas marcantes me confundia, pois estava acostumada a ouvir certas músicas em certas horas no desenho. Achei muito estranho (mas muito bonito!) a parte em que Aurora começa a cambalear e a desmaiar, com uma música "agitada", que no desenho era usada para momentos completamente diferentes!

Estranhei o figurino. Acredito que em todas as versões, "A Bela Adormecida" se passa no século XIV. No desenho da Disney, tudo é bem gótico! Mas no ballet, a rainha, o rei, a corte, estão todos vestidos como se estivessem no século XVII! Prefiro a Aurora "gótica". No ballet, parecia quase a corte de Maria Antonieta (século XVIII)!

No período gótico, toda a arquitetura e, consequentemente, a indumentária, "apontavam para cima". Era uma época em que se acreditava que Deus estava bem superior, acima, que o paraíso realmente era no Céu e não em construções densas e grudadas no chão, como havia sido no período anterior da História.




Olha, no background, a arquitetura gótica aparecendo!



A fada má, na Disney, Malévola e no ballet, Carabosse, é quase a mesma, olha:
Malévola

Carabosse


Ainda estou me acostumando com todos aqueles personagens de contos de fadas misturados do final! rs Mas é um belíssimo ballet!

Bom, a Cássia postou recentemente sobre as variações das fadas. Ela adora comentar qual variação gostaria de dançar nos ballets, então decidi comentar também rs : em Sleeping Beauty, eu gostaria de dançar a do Pássaro Azul, dançada pela Sarah Lamb , a qual vocês podem ver neste vídeo do Royal.

Sobre as variações das fadas (a Cássia fez um ótimo post, clique aqui para ler e ver o vídeo), eu adorei a primeira, que é a da Pureza (música, coreografia, tudo). Não gostei muito da música e da coreografia da segunda, a Migué. A terceira fada, a Miolo de Pão, achei meio sem-graça. Não gostei da expressão da bailarina (do Royal),meio robótica. Achei a coisa mais fofa do mundo a variação da Canário! Não gostei muito da fada da Energia e a Lilás, claro, é muito bonita. *Quando falo que não gostei, não acho que foi ruim ou fora do conceito - longe de eu achar isso! - Somente não me identifico.

Seguem alguns vídeos do desenho da Disney que acho que valem a pena. Na minha opinião, ambas as versões da história e adaptações da música de Tchaikovksy são geniais.

Once Upon a Dream...


Essa é a hora do Pássaro Azul no filme. Logo no início! Sim, Walt Disney colocou as músicas onde bem entendia! haha


Olha a música que toca quando Aurora toca o fuso! No desenho, esse é o tema da Malévola!


E o final...


Um outro post legal sobre a variação de cada fada é o da Tays, do Reason to Dance. Clique aqui para ler.

sábado, 17 de outubro de 2009

coreografias de final de ano

Ontem ensaiei por quase duras horas e meia no ballet. E adorei!
Fui chamada para dançar em mais duas coreografias: a de abertura de A Bela e a Fera e a da parte Something There (acho que o nome em português é "Ele foi bom"). Ainda não ensaiei a da abertura, só a Something There - que é a minha música favorita do filme - e coreografia a da minha turma de ballet adulto.

A Bela e a Fera será a primeira parte: só criança e juvenil. Mas insistimos tanto, que conseguimos umas partes. haha Minha turma de ballet adulto dança na segunda parte, que tem como tema "Inanimados". Dançaremos com objetos e o ballet adulto ficou com taças de vidro com velas acesas dentro. Bem difícil, mesmo os passos sendo simples. Haja coordenação para manter a taça em pé! rs

Segue o vídeo de Something There, pelo qual sou apaixonada! Estou muito feliz em dançar essa música. Pena que será em português. A coreografia está linda e foi criada por uma aluna do médio, a Isabella, que é uma fofa.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

ana e eu e "isto é brasil"

Ontem, fui assistir com uma amiga o espetáculo da cia de dança do Carlinhos de Jesus, "Isto é Brasil". Enfrentamos a chuva do Rio de Janeiro e eu fui munida da minha Canon e da minha sapatilha de ponta, com esperança de poder conhecer a Ana. E consegui! Após o show, corri direto para a área do Rival (que conheço muito bem, pois fotografo o Palco MPB toda Segunda lá) onde os artistas recebem os fãs e amigos. Fui a primeira da "fila", fiquei pertinho da porta, naquele calor que é a sala quando fica cheia de gente. Ela saiu, sorriu logo pra mim e a cumprimentei. "Oi, Ana, você pode autografar minha sapatilha?" "Claro!" - respondeu, super simpática, e comentou que aquele primeiro dia de show havia sido mais uma "brincadeira". Depois, pedi pra tirar uma foto e ela quis ver como tinha ficado, porque comentou que estava cheia de creme no rosto. rs E me perguntou onde eu fazia ballet! Eu disse "Lááa no Recreio!" haha (é bem longe da Zona Sul - onde fica Ipanema - e do Centro da Cidade).
Realmente, Ana é uma pessoa muito atenciosa, simpática. Sabe, daquelas que te faz ter fé no ser humano novamente? Passa uma energia leve e tenho certeza de que continuaria conversando comigo se não tivesse com tanta gente em volta, também querendo cumprimentá-la. Eu tremia de nervoso (quando fico emocionada, eu tremo rs). Comecei a tremer quando ela entrou no palco pela primeira vez. Ana parece uma menina do palco, como se tivesse minha idade! Incrível sua presença. E como eu estou lendo sua biografia, estou cada vez mais fã, pois me identifico muito com sua personalidade e tenho cada vez mais orgulho dela!

Hoje, farei aula de ponta com a sapatilha autografada. rs Fazer o que? Era a única que eu tinha e não tenho dinheiro pra comprar outra agora. Mas é bem poético, ter sua primeira sapatilha autografada por uma grande bailarina e fazer aula com ela...

Eu não levei todo meu equipamento e estava com uma lente escura. Além disso, não podia circular como circulo nos dias de Palco MPB, pois não tinha autorização para isso. Mas tirei algumas fotos legais do show e a maioria pode ser vista no meu flickr.

sobre Isto é Brasil

Gosto do conceito do espetáculo. Carlinhos de Jesus está com um corpo incrível e dançando maravilhosamente, como sempre. Mas talvez tenha faltado verba para fazer algo mais grandioso (como tudo no Brasil). Não tem cenário e o figurino deixa a desejar em alguns momentos, mas as cores são bonitas, os dançarinos dão tudo de si e dá pra ver que a galera tem talento. Infelizmente, a produção deixa um pouco a desejar. Mas recomendo! Pas de deux de Ana Botafogo e Carlinhos de Jesus não se vê todo dia!

Fotos:







Isto é Brasil
Teatro Rival - até Domingo! 19h30
Preços: R$60 e R$70 reais (inteira)

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

fotografando bailarinas

Essa semana fotografei a Camila, uma bailarina de 15 anos que faz ballet há mais de 10! rs Ela veio para fazer um ensaio pessoal, com produções "normais", mas é claro que eu sugeri umas fotos com a ponta, saltando. Aos poucos, estou aprendendo a fotografar bailarinas. É mais difícil do que eu pensava, pois depois de uns 10 grand jetés, Camila aprovava 1. Ela olhava na câmera e quando não gostava de sua abertura, gostava do rosto. E quando não gostava da expressão, gostava do salto. Acabamos cortando algumas fotos - o que funcionou muito bem! Segue algumas:




Ah! Galera do Rio! Amanhã vou ver o espetáculo da Ana Botafogo com o Carlinhos de Jesus, 19h30, no Teatro Rival! "Coisas do Brasil", se não me engano. rs Só sei que tinha a Ana e garanti logo o meu! Vai até Domingo!

Beijos

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

a 2a aula de ponta




Bom, dessa vez eu até coloquei esparadrapo, mas esqueci alguns dedos - que acho que começaram a "marcar" só nessa aula. Agora, já decorei os que precisam de proteção.

Fiz mais exercícios variados na barra e amoleci mais as pontas, fazendo bastante meia ponta. Falando em amolecer, conversando antes com minha professora, eu disse o termo "quebrar a ponta" e ela me olhou espantada, dizendo: "Como assim quebrar a ponta? Quando a ponta quebra, você joga ela no lixo, pois não consegue mais subir..." Depois de muito esforço, consegui explicar que tenho lido bastante esse termo na internet e ela disse "Ah, eles devem estar falando de ´amolecer´a ponta. Ou devem estar falando de moldar para os seus dedos. Deve ser uma gíria nova, pois na minha época não se falava isso não..." (E ela não é velha! rs) Ela disse que "quebrar" é quando a sapatilha realmente racha no meio, na sola e não tem como subir. E quando eu comentei da cena do filme Center Stage na qual uma bailarina pressiona sua sapatilha contra uma porta para se preparar pra aula? Foi muito engraçado. Ela disse que isso é "pra aparecer", que não tem necessidade.

Uma coisa que gostei muito foi que a "malhação" nas pontas é mais intensa. Sinto mais dor nos músculos na hora dos exercícios. Engraçado que, na academia, eu odiava. No ballet, gosto da dor porque sei que vou ficar mais forte pra poder dançar cada vez melhor!

E cada hora descostura uma fita...

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Botafogo e Ana



Esta tarde fomos fotografar em Botafogo e na hora de lanchar, entramos numa galeria na qual havia um sebo. Eu logo entrei, fazendo a pergunta clássica: "tem livro de ballet?" A atendente me levou até uma estante e me mostrou dois: um do ballet de São Paulo e o outro era uma biografia de Ana Botafogo, chamada "Ana Botafogo - Na Magia do Palco". Adoro biografias, entender as pessoas que admiro, saber suas histórias e poder entrar no mundo de uma grande bailarina foi irresistível. O livro estava à venda por R$25 e a simpática moça me vendeu por R$15. Na hora de pagar, percebemos que... tinha um autógrafo na primeira página! Simples assim: "Carinhosamente, Ana Botafogo". "Espero que ela não volte atrás e queira aumentar o preço" - pensei, rindo.

Já comecei a ler e estou adorando! O livro traça o perfil completo da Ana, por ela mesma, e passa por todos os ballets de sua carreira. O mais legal é que o livro também contém muitas informações sobre esses ballets, então a gente acaba aprendendo história, adquirindo conhecimento. Outra coisa interessante: no livro, Ana fala sobre truques dentro e fora do palco, manias, superstições... Recomendo! Vou até postar uns trechos no próximo post.

Uma curiosidade: Ana é descendente de um dos povoadores da cidade do Rio de Janeiro,João de Souza Pereira Botafogo, do qual saiu o nome do bairro!

Infelizmente, não achei foto decente da capa na internet pra postar aqui, mas dá pra comprar pelo submarino.com!

Eis o autógrafo, que hoje em dia pode ser meu, afinal, não é dedicado à ninguém - ou melhor, é dedicado à pessoa que tem o livro. :)

domingo, 13 de setembro de 2009

Criatividade


Minha última aula foi de criatividade. Isso mesmo! Minha professora saiu da sala e só voltou depois que criamos uma coreografia de 8 oitos. Cada uma podia criar uma parte, mas acabamos criando tudo juntas e ela adorou! Disse que fizemos desenhos bonitos. Também comentou que aulas de criatividade no ballet são muito importantes, principalmente pra quem deseja ser professor/coreógrafo. Eu, pessoalmente, achei muito divertido criar - apesar de ficar com receio e medo de só fazer besteira no começo - e achei muito mais fácil decorar uma coreografia criada por mim e outras companheiras do que pela professora. Recomendo!

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

alexandra danilova


Essa semana assisti novamente o documentário Ballet Russes e cada vez mais me encanto com o estilo de Danilova. Separei esse vídeo incrível, que mostra como o ballet era um pouco mais... expressivo, talvez? Como não dá pra incorporar esse, deixo o link.
No final do documentário, uma das bailarinas - já velhinha - diz que não entende os alunos jovens de hoje, porque eles se importam muito mais com a técnica do que com o 'calor', ou seja, o sentimento.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

a primeira aula de ponta

Aula passada minha professora deu a notícia: adiaria a ponta até o meio do mês porque uma aluna demorou pra voltar às aulas depois das férias e também porque entraram duas meninas novas na turma. Vendo a minha carinha de agoniada, ela me ofereceu fazer minha primeira aula com uma turma de meninas de 8, 9 anos, que haviam acabado de entrar pra ponta. Claro que aceitei! Não tenho medo de crianças... rs Uma delas até me ajudou a amarrar o cetim - coisa mais fofa! Chegando na sala, elas me perguntaram se seria eu quem daria aula! hahah "É que eu vi você fazendo aula à noite... Você faz o pas de deux, não é?" - perguntou uma menina. Quando eu expliquei que aquela era minha primeira aula de ponta e que eu era do ballet adulto, acharam estranho. Acho que nunca tinham visto uma bailarina adulta que não soubesse dançar ainda...

Começou a aula. Nos primeiros 5 minutos passaram milhões de coisas na minha cabeça ansiosa-desesperada. Meu pé esquerdo (que é tortinho) estava mais apertado e doendo um pouco mais que o direito - e o direito estava doendo bastante. "Será que aguento, será que vai deformar meu pé mais ainda!?" Mas aos poucos, senti meus pés se adaptando mais às sapatilhas, que ficaram menos apertadas. Adorei a aula. Como tudo que se espera muito, passou rápido. Mas senti muito orgulho de mim, por persistir e ir atrás de um novo sonho. O ballet, cada dia mais, é uma paixão que faz meu coração bater mais forte e que me faz sorrir sozinha, pensando...



Uma notícia legal é que estou ajudando com o figurino da apresentação de final do ano das crianças e adolescentes. A escola está comemorando 10 anos e repetirá um tema que deu certo antes em comemoração: A Bela e a Fera. E esse é um desenho que conheço bastante! Além de ser fã de Disney, esse é o meu favorito.

A notícia chata é que não sei se me apresentarei no final do ano. O custo é muito alto e como sou eu que pago tanto minhas apresentações, como minhas contas pessoais, não sei se conseguirei arcar com a grana e tem data pra pagar. =/

obs: uma dica para joanetes: colocar algodão entre o dedão e o 2o dedo! será que funciona?