segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Natalie Portman by Peter Lindbergh

Natalie Portman saiu na VOGUE America de Janeiro em fotos lindas ballerina inspired , falando de como foi todo o processo e a preparação física para atuar em Black Swan. Assim que tiver um tempinho, posto uns trechos traduzidos aqui...





Quer ver mais? Visite meu outro blog.

domingo, 12 de dezembro de 2010

a apresentação

Minha apresentação foi hoje de manhã.
Acordei cedo, um pouco cansada dos eventos de Sábado e preocupada com meus pés. Logo depois da maquiagem (cada vez fico melhor! Adorei a que fiz em mim!) subi logo nas pontas para ver se estava machucando em algum lugar específico, rezando para que nenhuma unha estivesse doendo (pra mim, unha doendo é o pior!).

Deu tudo certo, na medida do possível. Eu tinha muitas saídas e entradas, o que me deixou um pouco confusa. Mas não errei nada de coreografia. Só acho que me faltou mais concentração. Nunca havia sido personagem numa peça e fiquei nervosa por estar dançando nas pontas pela primeira vez. Acho que me saí melhor nos ensaios do que no palco. Eu já tinha percebido que estava desequilibrando desde o ensaio geral, como nunca havia acontecido antes. E nem era quando subia na ponta, era com o pé no chão mesmo. Eu sentia meu corpo tremendo...

Vendo os vídeos, a gente sempre encontra defeitinhos. Sou muito auto-crítica. E sempre tem alguma companheira sua que não faz coisas básicas como esticar a ponta, ou levantar a perna na hora certa. Não tem jeito... Por isso que quero logo poder dançar um solo, ou um pas de deux. haha

Pedi para o Bark filmar todas as 3 coreografias principais: a do pássaro azul, da Branca de Neve, e Yesterday e Let it be, dos Beatles. Por isso, não tenho fotos dessas partes, mas tenho de outras, das minhas "atuações" e da minha dança com o baby. Aquela outra de passarinho na foto é minha professora, a Natália! Ela teve que entrar junto com a filha, Duda, se não ela não ia dançar de jeito nenhum! haha

Para ver as imagens num tamanho maior, só clicar!







Devo dizer que o que mais me deixa triste nessa mudança pra Brasília é sair da minha escola. Amo minha professora, adoro minha turma, gosto de todos os outros alunos e professores com os quais já ensaiei... Eu e Natália já demos umas boas choradas. Mas eu sempre espero coisas boas de mudanças e queria agradecer a todos os comentários com dicas de escolas por lá! Já vou começar a pesquisar. =]

Assim que tiver os videos editados, eu posto. ;)

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Transições

Olá, queridas leitoras! Quanto tempo!

Peço desculpas pela minha ausência, mas se não me sobra tempo nem para ir ao ballet, imagine postar aqui. Nem sei como consegui ensaiar passagens de pergonagem e 3 coreografias, faltando tanto! Estou com medo da prova, que é semana que vem, pois faltei a maioria das aulas de barra para ensaiar uma das coreografias (com a permissão da minha professora, claro). Quem disse que eu decorei todos os exercícios? Dá-lhe um 6,5 pra passar raspando. haha

O estúdio e aLagarta tomam 99% do meu tempo. Muitas coisas aconteceram... Estou de mudança. Até escrevi em meu outro blog sobre. Em Janeiro, mudarei para Brasília! Inclusive, estou pesquisando escolas de ballet por lá, que me aceitem em turmas "normais" e não de iniciante adulto, afinal, já estou quase indo para o nível intermediário na escola onde danço aqui no Rio. Alguém tem alguma dica?

O blog vai voltar com tudo por lá. Vamos ter uma vida mais tranquila, saudável e dizem que Brasília é um dos melhores lugares para se estudar qualquer tipo de Arte. Estou ansiosa...

Enquanto a mudança não chega, estou vivendo intensamente os últimos dias na primeira escola de ballet da minha vida. Tento não pensar muito e ignorar o fato, para não chorar. Eu e minha professora estamos disfarçando que ninguém tá triste...

Pintei minhas sapatilhas de turquesa, para virar um pássaro dia 12 de Dezembro. Foi um momento difícil também, pintar minha primeira sapatilha... Quer dizer, minha primeira mesmo foi uma Capézio (vocês acompanharam minha odisséia) mas quase não usei. Foi com a Toshie que chorei, sofri, aprendi a dançar e fiquei feliz. Mas é uma transição, né? Mal posso esperar para comprar uma nova e começar tudo outra vez!


Obs: Usei tinta para tecido Acrilex. Misturei duas cores de azul. Há quem diga que é melhor passar uma camada de branco antes. Mas eu pintei direto no tecido. ;)

Um beijo de quem está aguardando *ansiosamente* a estréia de Black Swan.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

absolutamente lindo, esse vídeo...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

desafios

Essa apresentação de final de ano será a mais tumultuada de todos os tempos pra mim.

Pra começar, sou um "passarinho personagem" em A Branca de Neve. Tenho cenas e pequenos passos de coreografias para decorar e inclusive, queridos leitores, eu dançarei com o baby class! rs Sim, serei uma das "adultas-guia" e terei que fazer todos aqueles passinhos fofos no palco... hahah Acho que a única profissão do mundo artístico que nunca senti vontade de seguir foi a de atriz. Acho extremamente complexa e nunca entendi muito bem essa coisa de conseguir ser outra pessoa e incorporar um personagem. Aos poucos, estou perdendo a vergonha de ser um passarinho alegre e cantante. Quero ver na frente de todos, no ensaio geral... Porque, entendam, meu problema não é o público. Quando estou no palco, quando é pra valer, eu consigo ser quem eu tenho que ser. O problema é com as luzes acesas e pessoas experientes me olhando....

Fui convocada também para dançar Yesterday na 2a parte, que será uma dança contemporânea. Adoro desafios no ballet e decidi aceitar esse. Não curto dança contemporânea, mas acho que também nunca me aprofundei/pesquisei o bastante. Se a minha professora me indicou, é porque confia em mim e sabe que posso fazer, né? Vou dançar com meninas e mulheres de diversas modalidades e a coreógrafa não é a minha professora - o que deu um pouco de medo inicialmente. Eu amo o clássico. Não ligo pra jazz, aquelas coisas de ficar se jogando no chão.... rs sou toda dura no pescoço e tenho um pouco de vergonha de mim mesma dançando uma modalidade mais ousada, confesso. No clássico, encontrei segurança, estabilidade. Justamente por isso, decidi me desafiar e aprender mais. Já dancei, no final do ano passado, um jazzinho meio contemporânero. E foi uma ótima experiência. Essa coreografia é ainda mais esquisita... tem aquela coisa de se contorcer, rolar no chão... haha Mas é bom fazer o que nunca se fez antes, estou adorando! Tenho sede de conhecimento... Espero me sair bem.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

o encaixe do quadril

Há um tempo atrás, a Cássia postou a respeito do encaixe do quadril em seu blog, explicando por que é extremamente errado fazer isso com o corpo. O post foi uma revelação pra mim, pois o encaixe era uma das minhas principais preocupações (e acredito que de muitas bailarinas) para não machucar meu joelho na hora dos pliés - como minha professora explica. Fiquei pensando: "como algo ensinado durante anos e anos pode virar, de repente, uma ameaça"? Decidi conversar com minha professora a respeito.
Disse que havia lido um artigo que era contra o encaixe do quadril e que o mesmo era prejudicial ao corpo das bailarinas. Para a minha surpresa, ela respondeu: "Mas claro que é. Tudo que é feito com exagero, acaba lesionando o corpo. Não existe nenhum esporte, nenhuma dança, que não traga problemas posteriormente para quem treina ou ensaia horas e horas por dia, todos os dias da semana. Há muitas bailarinas que têm prótese de quadril. Eu mesma, machuquei meu pé na minha época de bailarina e, até hoje, ao levantar da cama, tenho que caminhar devagar, pois meu peito do pé acorda doendo." E completou: "Vocês, que fazem ballet de 2 a 3 vezes por semana, não precisam de preocupar com isso. Mesmo assim, eu não sou daquelas professoras que exige e força o en dehors acima dos limites das minhas alunas. Alguns professores mais antigos e tradicionais, querem ver o en dehors de qualquer maneira e acabam forçando demais".

E é isso... rs Eu continuo colocando meu quadril pra dentro, porque tenho hiperlordose e isso me ajuda a me alinhar. Fora que não quero prejudicar meus joelhos...

E vocês?

=*

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Odile em a Lagarta

Vocês já me viram, modelando para meu amigo Fabio Kotinda, vestida de "Odile" para aLagarta? Clica aqui! A galera gostou tanto que virou até capa! haha

Segue duas que ficaram de fora do ensaio:

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

"ponta boa é ponta velha" e o pássaro azul



Quando é que nós, bailarinas ansiosas, vamos aprender? Depois de posts e mais posts desesperados em relação às minhas aulas de ponta, finalmente estou entrando em harmonia com elas. Bailarinas adultas iniciantes nas pontas - como eu - aprendam de uma vez por todas: ponta boa é ponta velha. E só se adquire bom rendimento e total familiaridade com as pontas depois de uns seis meses fazendo aulas. Eu já havia lido sobre isso, já sabia na teoria, mas não queria enxergar na prática. Meu desespero e minha cobrança não deixavam!

Estou numa nova fase. Optei por dançar no final do ano e já começamos a ensaiar. Os ensaios têm sido maravilhosos! As pontas não machucam mais. Agora, só sinto dor muscular mesmo, por causa do trabalho com os pés e de toda a "malhação". E mesmo assim, aguento por bem mais tempo uma aula, um ensaio.
Vamos ser os pássaros azuis com os quais a Branca de Neve canta no início do filme, quando vai colher flores. A música será a do Pássaro Azul da Bela Adormecida. Não a do solo, a do pas de deux:


Posso dizer que fiquei imensamente feliz com a escolha do tema. Amo o Pássaro Azul, é um dos meus personagens favoritos. Não dançarei a variação - que é o meu sonho - mas já é um começo! haha

Fiz as pazes com a minha Toshie. Essa, sim, foi realmente minha primeira sapatilha. Afinal, não fiz nem 4 aulas com a Capézio Partner apertada que comprei. Vou ter que trocar, talvez por outro modelo, quando essa já estiver toda pintada de azul e caindo aos pedaços... Mas vou guardá-la pra sempre e ser muito grata por todo o aprendizado que ela me proporcionou.

sábado, 28 de agosto de 2010

redescobrindo o amor pelo ballet através do lado negro



Engraçado isso, porque o tema da próxima Lagarta tem a ver com o lado negro, ou o outro lado das coisas... E, depois de ir até o fundo do poço com stress e frustrações, Odile me ajudou a me apaixonar pelo ballet novamente. Sim, Odile. Obviamente, o trailler do filme (Black Swan) me inspirou, mas o Lago já era meu repertório favorito. Posso dizer que ele me salvou essa semana. O por quê de estar pesquisando tanto a respeito do cisne negro ainda é um segredo. Mas só até 15 de Setembro.


Natalie Portman como Odile





quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Black Swan

Eu acho que com todo esse stress, vou acabar virando um cisne negro hahah O filme do ano! E com a divina Natalie Portman, que eu adoro!

o pesadelo


Essa noite, tive meu primeiro pesadelo de ballet. Não foi coincidência. Minha última aula de pontas foi um desastre: sentir dor em lugares que nunca havia sentido antes e muitas vezes nem consegui subir pra fazer alguns exercícios. Saí de lá muito frustrada, com vontade de chorar e pensando em como vou comprar outra sapatilha (quero trocar a Toshie pela Grisi, que é mais larga) se não tenho dinheiro no momento. Ah e o elástico da ponta direita arrebentou - de novo.
Além disso, minha professora me alertou para meus pliés em primeira e em quarta. Disse que estou colocando os joelhos pra frente e achei uma dificuldade extrema me concentrar para abrir o quadril e os joelhos, algo que nunca aconteceu. Pra completar, tive que faltar a aula de ontem e com certeza me senti culpada por dentro. Estou numa época muito conturbada no trabalho e isso se relfetiu no ballet, com certeza. E meu subconsciente jogou tudo pra cima de mim num sonho muito desagradável. Era uma aula de ponta. Estávamos em outro lugar, acho que tinham alguns outros profissionais olhando... E eu abandonava a aula, por estar indo muito mal. Sentei em algum lugar pra acertar minha ponta, tirar, colocar de novo, ver os curativos e minha professora veio atrás de mim, meio chateada, perguntar o que estava acontecendo e por que eu não estava na aula... que sensação chata.

Está tudo muito "pesado" pra mim.

Quem nunca ouviu falar da história dos Red Shoes? Também é um pesadelo! rs Falando em sapatilhas vermelhas, fotografei a Livia, bailarina adulta que veio fazer seu book com visual rock'n'roll. Tem mais no flickr do estúdio.




segunda-feira, 16 de agosto de 2010

músicas que eu gostaria de dançar

Antes de começar o post, gostaria de agradecer imensamente os comentários deixados aqui no blog. Agradeço o carinho, o apoio, as palavras... Beijos em todos!

Eu faço uma pequena listinha de músicas que futuramente irei dançar, nem que eu mesma tenha que montar a coreografia. Vou pro ballet escutando no meu ipod e imaginando... "essa seria um pas de deux; essa seria um solo..." Penso nisso muito mais do que penso em repertórios.

Essas são apenas algumas, as favoritas... Mas tem muitas outras!

Vibrate, do Rufus Wainwright tem uma letra super contemporânea, mas uma melodia com delicadeza de ballet clássico. Não achei a versão original no youtube... Essa seria um solo.



Paul é a paixão da minha vida, né. Eu sonho dançar Calico Skies, uma das minhas músicas favoritas dele:



E last but not least, Regina Spektor. Eu dançaria quase a obra toda dela, mas Samson é a mais especial. Essa seria um pas de deux.



E vocês?

__________________________________

Assisti ao vídeo no tumblr da bailarina Maria Kochetkova (que descobri no blog da Cássia) e adorei! Amo animação e essa bailarina é uma graça:

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Hoje vou falar de um assunto que tenho certeza que incomoda todas nós: os custos das apresentações de fim de ano.

Já de antemão, digo que não questiono o valor das coisas, como aluguel de teatro, equipamento, cenário, figurino... Eu só lamento não poder arcar com os custos.
Apesar da volta às aulas hoje ter sido maravilhosa (malhei minha coxa como nunca na barra), voltei pra casa triste, pois sei que vai ser muito complicado dançar em Dezembro.

Minha academia separa o espetáculo em duas partes: a infantil/juvenil e a adulta. E como eu faço aulas na turma do básico II e na turma de adulto, posso dançar em ambas, caso queira.
Esse espetáculo seria muito importante pra mim: no juvenil, dançaria em A Branca de Neve, pela primeira vez nas pontas e no adulto, dançaria Beatles (tema geral que eu mesma sugeri à minha professora - fiz apresentação de power point e tudo!) - minha banda favorita. Só que o pacote mais simples para eu dançar as duas coreografias no final do ano me custará R$600! Se eu realmente quiser, posso me endividar (mais) um pouco (pois é, ser independente não é lá tão divertido assim) e pagar as parcelas. Mas sabe... vai me fazer muita falta esse dinheiro. Eu já vivo apertada.

Foi chato, voltar às aulas toda animada e sair de lá sabendo que não poderei dançar. Nem falei pra minha professora ainda. Ela vai ficar muito triste...

O que mais me desanima é saber que vou perder aulas e aulas por causa dos ensaios, e que vou ficar pra trás no desempenho não dançando pela primeira vez nas pontas.

Enfim... não sei como terminar o post.
Beijos em todas e obrigada pelos comentários sempre!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

exercício em casa e reflexão


Hoje, terminei meu trabalho mais cedo. Decidi colocar minhas pontas e fui pra varanda, fazer uns exercícios básicos, uns pliés e relevés... Por que na varanda? Porque descobri que tenho uma barra fixa ali. E pude olhar o dia bonito que está fazendo lá fora.
Voltar para as aulas, principalmente de ponta, após três semanas de férias, já é bem dolorido. Imagine sem praticar em casa!

Depois, decidi arriscar na sala uns exercícios de diagonal e umas piruetas. Como minha unha esquerda estava reclamando muito, fiz só com a perna direita, fazendo uma cadeira de barra (eu sei, perigoso, não tentem isso em casa!) Consegui fazer duas piruetas completas, soltando as mãos. Fiquei muito feliz! Até chamei o Bark para ver. haha

Depois, fui costurar o elástico de uma das sapatilhas, que tinha soltado há um tempo. Eu estava improvisando nas aulas, amarrando num nó bem pertado em volta da minha pobre canela. Peguei um resto de elástico que tinha guardado, linha rosa e costurei, calmamente, vendo a tarde cair aos poucos, ouvindo música... Fiquei pensando que gosto muito dessa tranquilidade. Gosto do ballet ser uma coisa só minha e tenho estado mais reservada a respeito. Costurar meu elástico e fazer os exercícios foi como uma meditação. Eu não sinto isso nas aulas...

sexta-feira, 16 de julho de 2010

confissões e repertórios favoritos

Tenho que confessar algumas coisas:

Não tenho me dedicado tanto ao ballet fora das salas de aula. Não estudo em casa, não leio livros, não vejo ballets. Depois que acaba meu horário de trabalho, só quero saber de descansar e de programar a próxima Lagarta. Nem isso eu deveria fazer, pois minha médica (cardiologista, homeopata e acupunturista e considerada por mim, minha terapeuta haha) disse que eu tenho que me conectar com o lado direito do meu cérebro e voltar a criar. Não escrevo mais, não desenho mais, quase não canto... Só faço trabalhar e ser racional. Perdi minha veia criativa. E ela me passou de dever de casa para a próxima consulta em Agosto, desenhos e textos. Até agora, só escrevi 2 textos e tentei um desenho... Não há espaço para o ballet, essa é a verdade. Agora que estou de férias (não suporto essa coisa de férias do ballet), tenho que me forçar a fazer alguma coisa em casa, alongar...

Confesso também não ter paciência para ver alguns ballets de repertório. Tem aqueles que amo! Mas são poucos. Não tenho nem interesse por alguns... ou começo a ver e acho extremamente chato, como La Sylphide. Li a história e adorei, mas na hora de ver o vídeo, quase dormi.

Estava esperando ter mais tempo para ver mais ballets para dizer os meus favoritos, mas decidi lançar logo a lista, pois a decisão já foi tomada há um tempo. Eu que não queria admitir que não cheguei a comparar todos entre si. rs

1-O Lago dos Cisnes
2-A Bela Adormecida
3-Branca de Neve



prontofalei!
Esses são os que mais amo, os que assisti e amei e assisto sempre! Pode ser que mude de idéia no futuro, mas esses são os top 3. Talvez, por mexerem muito com o lúdico e histórias de seres mágicos, fadas... Também tenho essa ligação com contos da Disney e histórias que ouvia quando era criança.

O Lago tem a música perfeita, o figurino perfeito, a história perfeita e os movimentos perfeitos na coreografia... Não tem como não amar. Desde que assisti pela primeira vez, apaixonei.








O Quebra-Nozes quase foi pra lista também, por carregar todo esse clima. Quero poder terminar Sonho de Uma Noite de Verão e começar La Bayadère, que parecem ser repertórios que vão me agradar.



___________________________________

Esther, respondendo à sua pergunta nos comentários: eu sou daquelas que acha necessário estudar, fazer um curso superior, etc. Sei que tem muita gente que se forma "na vida", mas eu, pessoalmente, acho que precisei desses anos de faculdade. Mesmo não sendo nem metade do que eu imaginava, aprendi muitas coisas lá, tive professores brilhantes. Mas também tive professores terríveis, ignorantes, ultrapassados... Acontece. Por isso que só a faculdade não resolve. Estagiar e trabalhar é fundamental. Como estagiei e trabalhei desde muito cedo, essas oportunidades também me ensinaram bastante durante minha formação. Acho que é a combinação perfeita: estudo + aprendizado no trabalho + paixão.

domingo, 11 de julho de 2010

aLagarta também fala de ballet!



Olá!

Primeiro:

Cristina e Esther: obrigada pelos comments. Respondendo: faço ballet há um ano e quase 5 meses e estou no nível básico II. E sim, tenho twitter! Quem quiser me seguir: @lancelloti

Passei aqui para divulgar a primeira edição da revista online que criei, chamada aLagarta, que inclui um texto lindo sobre ballet adulto, escrito pela querida Cássia, do Dos Passos da Bailarina e também uma entrevista com a minha professora de ballet, Natália. Acho que vocês vão gostar! A revista também tem twitter, facebook e scrapbook. Depois me dêem um feedback, hein!

beijo beijo!

domingo, 4 de julho de 2010

apresentação



Não tenho muito a dizer a respeito da minha apresentação de meio de ano. O tema em si não me "tocou" muito. Achei bonita a coisa das rosas, mas tivemos que tomar cuidado para não ficar cafona. rs
Os ensaios foram difíceis e a professora, muito exigente. Foram bons, os ensaios. Acho que dancei melhor neles do que no palco, mesmo me dedicando. É que entrei de surpresa! Quando nos anunciaram, eu achei que ainda faltava uma coreografia na nossa frente.

Meu grand jeté não foi bom como eu estava fazendo nas aulas... Mas minha maquiagem ficou impecável! Fiz sozinha. haha

Foi divertido, como sempre, estar nos bastidores, ajudar as meninas na maquiagem... Até pintar sapatilha com base eu pintei, pra ficar bege (pois uma das moças não tinha encontrado bege pra vender. tsc tsc) Mas acho que estou cansada de dançar coreografias de "passagem" até poder dançar realmente algo mais difícil. Só que ainda vai demorar para isso acontecer, né? Sei lá, a gente sempre espera que seja melhor do que é. Três minutos se passam em 3 segundos.

Um fato engraçado: durante a noite, acordei meio mal, enjoada e com calafrios, após sonhar com tudo dando errado na coreografia. No ano passado, citei aqui que fiquei muito doente um dia antes (praticamente uma gripe suína, dançei com febre e tudo) e minha amiga disse que eu havia me boicotado. Quando me senti mal de madrugada, disse alto 3 vezes para mim mesma: eu não vou me boicotar!!! Tomei uma água, me aqueci e dormi. Acordei maravilhosamente bem, =]

Tenho que editar o vídeo, por isso, colocarei só as fotos por enquanto:









sexta-feira, 25 de junho de 2010

fazendo ballet com adolescentes



Passar da turma de adulto para a turma do básico II foi uma das melhores coisas que me aconterecam e apesar de minhas companheiras de turma saírem da faixa etária 18-40 para a de 10-16 anos, não tem sido chato e estranho, como eu esperava que fosse ser. Na verdade, é bem gostoso chegar no ballet e lidar com meninas mais novas, com aqueles assuntos de sempre (escola - namorado - mães). Tive sorte de pegar adolescentes calmas e maduras, que não são agitadas e que na hora da aula respeitam bastante a professora - apesar de serem um pouco avoadas. Mas quem sou eu pra questionar isso, né? Mesmo me esforçando, muitas vezes me pego com a cabeça na Lua e bocejando durante os exercícios na barra. Na verdade, acho que bocejo durante quase toda a aula. Não por desinteresse, mas por estar muito relaxada. E acho que o meu estado de relaxamento também se deve a essas meninas. Ali, não sou mais a Carol-fotógrafa-adulta-estressada. Sou simplesmente mais uma bailarina da turma. Não ter companheiras mais velhas para me lembrar dos problemas e afazeres da minha vida fora dali é muito bom e me faz ter melhor desempenho. Realmente me desligo do mundo, entre risadinhas de meninas super agradáveis e a dança.

Somos 6 e vamos nos apresentar juntas mês que vem. A única coisa ruim é dançar com algumas que não se dedicam 100%. Mas isso não tem nada a ver com idade, pensou eu, mas sim com paixão. Em turmas de adulto é mais fácil encontrar pessoas dedicadas porque essas se encontraram de verdade ali, ou estão realizando um sonho... No caso das adolescentes, algumas nem sabem por que estão ali. A mãe matriculou e ela ficou.

No palco, ninguém dirá que tenho 22 anos, pois realmente não pareço ter. Uma das meninas até me disse "eu achava que você tinha 15 anos!" haha

Minha professora disse que se mantém jovem por causa do contato com muitas meninas novas. Espero que seja assim pra mim também.


*desculpem meu post mal-escrito. estou com sono, mas queira muito escrever sobre isso hoje.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

novas fotos!

Hair, make e fotografia: Tatiana Pomar (porque eu não poderia me clicar, né! haha)
Produção de moda: Carol Lancelloti e Tatiana Pomar

Viva o meu novo corpo que praticamente não precisou de Photoshop! =D
Devo isso ao ballet. =]



quarta-feira, 2 de junho de 2010

dançar como eu sonho

Unhas quebradas, calos definitivos, força de vontade e bom-humor para um dia poder dançar como eu sonho. Tento lembrar sempre dos por quês e do caminho percorrido até aqui. Tenho não me chatear por não ser mais a melhor da turma e entender que, agora, faço aulas com bailarinas que querem ser bem-sucedidas tanto quanto eu. E o sucesso não é uma carreira, mas sim dançar como sonhamos, simplesmente... Subir nas pontas e sentir que são a continuação de nosso corpo. Eu ainda sentirei. Estou quase lá, quase lá...

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Encaremos a vida de uma bailarina adulta: nas férias, conseguia atualizar o blog várias vezes por semana. Agora, não consigo nem ir 3 vezes por semana no ballet! Mas são fases, eu sei. Estou adaptando melhor minha rotina aos poucos.
Mas estou feliz em ver mais resultado no meu corpo, principalmente nas minhas pernas. Ganhei músculo, pois sempre me peso e percebi que estava ganhando um pouco de peso, mas ao mesmo tempo, minhas roupas não estavam apertadas e eu não estava aparentando mais "redondinha". rs

Tem sido uma fase de projetos e muitas fotos. O ballet me influencia muito, às vezes, 24h por dia estou lembrando da minha paixão por ele. Penso que queria ver o DVD do Ballet Russes de novo, que ainda não terminei de ver um monte de ballets de repertório que ganhei da Thays e que preciso comprar uma ponta rosa para a apresentação de final de ano (!) Em Julho/Agosto vamos dar uma descansada e trabalhar menos e vou poder me dedicar mais.


O ballet ainda está na moda.
Esses são dois editoriais que salvei nesses últimos meses.
1- Polina Semionova por Peter Lindbergh
2-Irina Lazareanu por David Bellem




sexta-feira, 14 de maio de 2010

the rose

Eis o tema da minha apresentação de Julho. The Rose.

Dessa vez, não dançarei na minha turma de adulto, porque ando sem tempo para comparecer às aulas à noite por causa do trabalho. Achei que conseguiria dançar nas duas, mas a verdade é que muitas vezes o dia me cansa tanto que nem volto para fazer aula de noite; fico saturada. Estou me dedicando mais na turma do básico mesmo...
Minha professora até pediu idéias de tema. Eu era sua única esperança, pois sempre penso em alguma coisa. Mas dessa vez, também não tive tempo para pensar em nada. Ela sugeriu, então, a música-tema do filme The Rose. Eu nunca assisti, mas gosto da Betty Middler e a música é realmente muito bonita. O figurino deve ser todo branco, com meia e sapatilhas cor da pele (ou "nude", como manda a moda haha) e flores vermelhas no cabelo.

Trailler:


Bette Midler cantando The Rose ao vivo:

sábado, 8 de maio de 2010

a dificuldade

Mande-me fazer exercícios intermináveis nas pontas,
Mande-me fazer passos na diagonal e no centro, de debulés a saltos e piruetas
Mande-me decorar e dançar uma coreografia com presença de palco
E até fazer uma aula inteira de chão e alongamento

Mas não me mande fazer uma longa sequência de exercícios repetitivos na barra, que me confundem quando trocam pequenos detalhes... Esses demoram, no mínimo, um mês para serem executados corretamente por mim.

Lembram meus dias de escola, quando não entendia nada que um professor de matemática falava e precisava de professores particulares para conseguir tirar uma nota razoável numa prova. Frustram. Meu raciocínio para coisas muito exatas é lento.

Minha professora sempre diz que "bailarina precisa pensar" e isso me preocupa. Porque pensar demora muito pra mim.


[Audrey Hepburn]

quinta-feira, 29 de abril de 2010

No Dia Internacional da Dança, comemoro meu progresso nas pontas, minha boa execução da pirueta com terminação em quarta allongé e minha quase pirueta en dedans. rs O que vocês comemoram hoje?



Um beijo para todas as bailarinas queridas que acompanham meu blog!

Post curto, porque o trabalho me chama!

Beijos,

Carol

domingo, 18 de abril de 2010

novas fotos!

Ontem Bark tirou mais fotos minhas. Dessa vez, foi um pouco mais fácil porque consegui ficar mais tempo nas pontas. Só que meus pés estavam machucados da última aula e esse tecido preto escorrega bastante... Também me achei gordinha hahaha Mas tiveram algumas bem legais! O figurino doido foi eu que inventei na hora. A meia é do acervo do camarim e é uma Armani, que chic! haha O collant foi da minha última apresentação e a saia, ganhei da Tati, produtora dos looks do Bark Studio.



quarta-feira, 14 de abril de 2010

Ah, bailarinas queridas!

Não gosto de ficar muito tempo sem postar aqui. Sinto muita falta de estudar e escrever sobre ballet, mas é aquela coisa: o ano começou em Março e não parou mais! Estou indo ao ballet normalmente e amando minhas aulas de ponta (apesar de ainda passar por várias surpresas e descobertas). Nem me importo com uns calos que já viraram eternos nos meus pés. haha Já eram feios mesmo...

Uma coisa legal: depois de um ano de ballet, finalmente sinto meus músculos da perna mais durinhos. Porque demora né, principalmente quando se faz somente 2 ou 3 vezes na semana. Sinto minha perna mais enxuta (haha oba!) de gordurinhas e minha meta agora é aproveitar a aula, mais básica, para adultos para aprender bem a técnica e os pequenos detalhes e me dedicar muito na aula do pré-básico, que está ficando difíiiicil.

Deixo vocês com essa foto maravilhosa da Julianne Moore por Peter Lindbergh, de "bailarina adulta" para Harper's Bazaar - e um desejo de boas aulas nesse clima de Outono tão gostoso!

terça-feira, 23 de março de 2010

Olá, ballerinas!

Não tenho postado em função de muito trabalho e alguns probleminhas do dia-a-dia. Nessas épocas, infelizmente, o ballet clássico se resume à sala de aula pra mim, pois não consigo dar mais atenção. Fica quase impossível ler blogs, estudar, ou ver vídeos. Sinto muita falta e vou acumulando coisas para postar, que muitas vezes acabam esquecidas...

Novidades: estou me adaptando bem à Toshie! É muito interessante o início nas pontas. Vejo um pequeno progresso a cada aula. Nem me importo quando a professora diz como fizemos errado e feio um exercício, porque eu sinto a cada aula meus pés mais familiarizados com a sapatilha. Já consigo executar passos que há duas aulas me davam muito medo e cada vez mais entendo onde dói, quais dedos tenho que proteger... Cada vez mais sinto que as sapatilhas fazem parte de mim. Antes, eram um objeto estranho.

Gillian Murphy



Separei um post sobre Gillian Murphy, uma outra bailarina que tem me chamado atenção. Adorei assistir O Lado dos Cisnes com ela! E ela me inspira por um motivo pessoal: é uma bailarina de seios grandes. Pelo menos, maiores do que o normal, que se vê por aí nos palcos.

Gillian tem 31 anos e é principal dancer do American Ballet Theatre, assim como seu marido, Ethan Stiefel (que atuou em Center Stage!) Outro ponto com o qual me identifico, pois também trabalho com meu namorado.



Eis um vídeo dos dois dançando juntos:



Entrevista sobre Swan Lake:

quarta-feira, 10 de março de 2010

Básico 2 + Turma de adulto - o dia-a-dia e as dificuldades

Bom, descobri semana passada que estou, na verdade, no nível Básico 2. Pulei um nível sem saber! haha Isso é tão bom!

A turma do Básico 2 tem 6 meninas, de 12 a 16 anos. Sou a única adulta. Estamos fazendo uma aula de ponta por semana, de 30 mins de duração. Já estou entrando no pique da ponta. Na última aula, fiz meus primeiros exercícios no centro e confesso que morri de medo! haha Acho que meu medo até me impediu de realmente realizar com êxito. É que uma menina lá na escola torceu feio o pé, caso de colocar pino e tudo. Sempre testo meus limites antes de mãos dadas com uma outra companheira de aula, ou na barra. Mas aos poucos, sinto que meus pés estão se acostumando e também ficando mais resistentes. Uma aula de 15 minutos costumava me matar. Na minha primeira aula de 30 mins também sai morta e com os pés doendo, mas em compensação, foi uma aula mais longa e com exercícios mais difíceis. É legal sentir o progresso. Fiz meus dois primeiros machucados nos pés! Um em cada pé. Nenhuma bailarina esquece seus primeiros machucados com a ponta... Ainda não sararam completamente, vou ter que protege-los bem na próxima aula.
Tenho sentido algumas dificuldades em exercícios de sequência mais longa na barra. Mas não me desespero porque sei que demoro um pouco pra pegar e lembro que quando comecei na turma de adulto, achava uma simples sequência um bicho de 7 cabeças!

Minha turma de adulto está super agradável. Meus amigos de sempre e algumas pessoas novas. Em função da filha bebê, minha professora, Natália (que ainda me dá aula no Básico), teve que contratar outra pessoa para nos dar aula. Adorei a nova professora! Ela tem um método bem legal, leve e ensina o be-a-bá mesmo, chamando atenção para os pequenos detalhes. E dá muita atenção para os braços, o que é muito bom pra mim, pois é algo que preciso melhorar. Adorei, pois apesar de estar num nível acima, eu ainda preciso muito aperfeiçoar um monte de coisas que não aprendi direito.

Bom, agora vou-me porque tenho minha aula de adulto já já!

Em breve, vou contar uma novidade legal de trabalho!

Beijo em todas

quinta-feira, 4 de março de 2010

Sarah Lamb


[foto: eric antoniou]

Sarah Lamb se tornou uma das minhas queiridinhas. E acabo de descobrir que ela tem 29 anos! Com essa carinha linda de boneca. Acho que bailarinas permanecem jovens para sempre. haha Sério. De tanto interpretar papéis de meninas, com tanta leveza, acho que elas acabam carregando essa essência para toda a vida adulta.

Para quem não sabe, Sarah é americana e dança pelo Royal Ballet.







Já postei o vídeo da foto, agora, posto a entrevista e o making of:



Beijos!