quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

ponta, ponta, ponta



Começo o ano com os pés coçando pra subir de novo nas pontas! Dia desses postei minha Gaynor nova no instagram e estou doida pra chegar Fevereiro, que é quando recomeçam as aulas.

Eu não usei a sapatilha desde que comprei, em Outubro. Decidi deixa-la para 2015 e pintar minha Gaynor antiga para a apresentação de fim de ano – visto que deu muito dó já ter que pintar a minha nova... rs

Então, tudo o que penso é ponta, ponta, ponta e mal posso esperar pra entrar no estado ~meditativo~ de costurar o elástico e as fitas. rs E vai rolar também aquela breve fase inicial, de adaptação, em que precisarei amolecer cada pé (e tem vezes que uma sapatilha fica mais dura do que a outra, né?). Mas faz parte.

Bom, pra inspirar a gente no recomeço nesse trabalho árduo, mas tão maravilhoso, separei um vídeo super bacana que encontrei no canal da AOL (eles têm uma série só com episódios em parceria com o NYC Ballet):


É em inglês, mas, pra quem não entende, o vídeo basicamente conta como é ser profissional e dançar todos os dias sobre as pontas. As bailarinas ganham sapatilhas quando entram para a companhia e podem customizá-las especialmente para os seus pés. Elas precisam usar as mesmas sapatilhas sempre, com o mesmo molde, porque isso evita lesões e machucados. Algumas só duram um ensaio ou um espetáculo! Depois, já tem que trocar pra uma nova. Imaginem!

No mesmo canal, encontrei um outro vídeo super útil pra quem pinta sapatilha todo ano pra apresentações. Gente, eu aqui usando tinta pra tecido, criando aquela crosta que endurece a sapatilha... Fica péssimo! Como nunca pensei em color jet?!



Da próxima vez, vou tentar pintar desse jeito. ;) Alguém tem uma forma diferente de pintar sapatilhas?

Até as aulas!