domingo, 17 de agosto de 2014

O tal do giro duplo


Eis que chegou o tempo. O tempo do fouetté, do pas de valse na ponta, alternando os braços (acreditem, eu acho bem complicado! rs) e... do giro duplo.

Os dois primeiros são só uma questão de repetição e concentração, porque a mecânica do corpo eu já entendi. Mas o giro... Confesso que já estou há 1 mês tentando entender como funciona, como ele acontece.

Quase sempre no final da aula, na diagonal, fazemos uma sequencia de tour piqués que termina com um duplo. Eu nunca fiz nem duas piruetas, então, foi uma novidade extremamente exótica tentar continuar girando. rs

Eu costumo bocejar nas aulas de ballet e só aprendo uma sequência na barra depois de meses -- isso porque minha aula é sempre à noite, às vezes 20h30, e já estou muito, muito cansada do dia. Minha professora de Brasília dizia que era ok, porque ali eu relaxava. E relaxo mesmo. Esqueço, desligo. Faço tudo com bastante empenho, claro, e depois que decoro, vai no automático.

Mas quando chega o giro duplo, preciso dar aquela concentrada de novo. De onde vem a força? (Até onde entendi, do abdomen). E o segredo pra continuar, pro seu cérebro entender o que vem a seguir? É só girar de novo a cabeça? Como seu corpo simplesmente continua girando nas pontas?

Não sei como é pra vocês mas, pra mim, é muita coisa pra pensar num momento tão rápido, de sequências, e ainda estou acostumando meu corpo -- e me acostumando a dar a ele as devidas direções também.

Quando consigo alinhar tudo (postura, execução correta do passo, força no abdomen e dois giros da cabeça) ele sai. Meio desiquilibrado, quase caindo (e às vezes, faço na meia ponta pra conseguir realizar o passo corretamente e, então, subir pra executa-lo na ponta) mas sai. Mas que demora, né?

Bem, mas quem disse que ballet era fácil? Só de eu ter chegado nesse desafio, já fico feliz. Lembro de quando não sabia nem fazer quinta posição, ou pas de valse na meia ponta e -- quem diria? -- hoje eu só faço aula nas pontas (e nem saio tão arrebentada assim).

Giro duplo é pinto (falando pra ver se de fato isso acontece rs).

terça-feira, 5 de agosto de 2014

As peças da LoHa Danse Boutique


Dia desses eu me deparei com uma mensagem carinhosa no Facebook do Meia Ponta. Era a Julia, criadora e estilista da LoHa Danse Boutique, me convidando a conhecer a marca. A LoHa é uma marca super linda de artigos pra dança e assim que vi o lookbook no site, me apaixonei de cara!


É tão difícil encontrar peças diferenciadas de ballet aqui no Brasil, com preço acessível, design criativo e que sejam também confortáveis pra dançar. E a LoHa consegue unir todas essas características. Isso porque a Julia, além de bailarina, se formou em moda e, assim como eu, preza pelos detalhes e pelo design. Tem que ser funcional, mas também bonito! 


Eu não tenho lá muitas peças pra fazer aula. Confesso que revezo entre dois collants pretos, duas meias rosas, uma preta, duas saias e foi. rs Mas adorei testar coisas novas! Comecei pela que me deixou mais curiosa: uma luva de tule preta, bem diva, que funciona como uma polaina para os braços. É bacana pra hora de aquecer quando estamos fazendo aula no frio e, apesar do inverno no Rio não fazer nem cosquinha, na região que eu moro a temperatura cai bastante durante a noite e fica bem gelado!


Não sou fã de fazer aula só de collant (e nem tenho corpão pra isso rs) então, mal pude esperar pra vestir o uniforme inteiro: collant branco, saia de renda preta e bolero de tule preto! Adorei os contrastes do preto+branco. E esse collant é muito bacana -- talvez a peça mais diferente. Ele tem duas partes, uma que cobre os seios e a parte de baixo, que vai até mais ou menos a cintura, e a barriga fica transparente, o que não me incomodou. Mas deu uma pena de usar... Quero guardar pra produção dos meus editoriais d'aLagarta. haha Esse collant tem na versão preta e é lindo demais! Também quero. rs


A sainha rendada é uma graça e adorei o movimento que ela fez  -- dá pra reparar na foto que abre o post. Quero usar muito, sem pena! rs Ela cobre na medida certa, mas mantém uma transparência e deixa a produção linda! 

O bolero foi um caso de amor porque há muito tempo eu buscava uma peça pra me aquecer nos dias frios e também pra cobrir as axilas quando eu não estou depilada. haha E no lugar de ficar vestindo blusas que impedem a professora de reparar se sua silhueta está alinhada e o quadril encaixado, o bolero é uma ótima opção! ;)


Quero agradecer mais uma vez a Julia, que me atendeu super bem e até trocou uma saia quando a primeira ficou pequena para o meu bumbum. rs Sou uma bailarina de corpo, com coxa, peito, bunda, e fiquei até apreensiva -- principalmente com o collant - com medo do look não funcionar de fato em sala de aula. Mas deu tudo certo e fiz aula tranquila. :)

Gostou? Siga a LoHa:

Beijos e até o próximo post!