quarta-feira, 30 de maio de 2012

Adquirindo uma Gaynor Minden

Foto: Carol Lancelloti


Como citei no post anterior, fui ao Rio para fotografar um editorial de moda (para a Lagarta) inspirado em ballet. A produtora de moda me pediu para levar todas as sapatilhas de ponta que eu tinha, inclusive a minha Toshie pintada de azul (lembram?)

Atualmente, minha Toshie azul decora o meu quarto. Ela representa muito pra mim, porque foi a sapatilha que me ensinou a subir e dançar nas pontas e sou muito grata a ela por isso. Eu nunca havia calçado a Toshie desde a minha apresentação de fim de ano de 2010, pois logo em seguida ganhei de presente uma Gaynor Minden de uma amiga. Resolvi então, depois de todo esse tempo, subir nela pra ver a diferença entre as duas...

E que diferença!

Bailarinas, acho que esta é a melhor dica de sapatilha de pontas que eu posso dar a vocês: comprem uma Gaynor! Eu subi na Toshie de meia grossinha e senti dor em segundos (e comecei a lembrar de todo o martírio que sofri com ela, protegendo meus dedos). "Como eu sofria e não sabia!" -- pensei.

Com a minha Gaynor, não há machucados, apenas dor muscular dos exercícios. Com ela, não uso ponteira, apenas envolvo com esparadrapo as partes que sei que machucam e uso uma dedeira. E o melhor: minha Gaynor não envelhece! Ela dura que é uma beleza, principalmente para iniciantes, que só fazem aula de ponta uma vez na semana.

Eu sei, muitas de vocês vão dizer: "Mas, Carol, uma Gaynor é muito cara!" E é mesmo. Mas acho que vale a pena colocar no papel o número de sapatilhas que vocês trocam por ano (sendo cada uma uns R$80 reais) em troca de uma Gaynor que vai durar o ano inteiro (em média R$300 no Brasil) e ainda vai melhorar muito o desempenho de vocês nas aulas. E melhor: sem tanto sofrimento! Dou essa dica de coração mesmo, porque eu sofri com as minhas primeiras sapatilhas (e vocês acompanharam aqui), sei bem como é a frustração.

Como comprar minha Gaynor?

Aqui no Brasil, você encontra a sapatilha no Mundo Dança, na Ponta Firme e na Loja Ana Botafogo.

Se você quiser fazer uma sob medida, certinha para o seu pé, vale a pena fazer todo o processo que a Thais, do Ponta Perfeita, fez, enviando suas medidas diretamente para a loja gringa. Ela conta tudo aqui neste post.


Não conheço a Gaynor! 

Já falei sobre a minha primeira Gaynor aqui e já postei sobre a loja da Gaynor em NY aqui. ;)
Leia aqui alguns depoimentos de profissionais sobre a Gaynor.

Toshie, só na parede!



9 comentários:

Tha FF disse...

Carol, adquiri a minha a 3 meses e estou muito feliz com ela também, passei anos a "procura da ponta perfeita" e a Toshie foi a que melhor me servia. Exitei muito em comprá-la por causa do preço, mas como eu consumia uma Toshie por mês, se a GM durasse mais de 3 meses já teria saído elas por elas. Pra minha alegria ela foi ótima pro meu pé, e depois de 3 meses de uso, ainda parece que acabou de sair da loja, além de ser super confortável. Valeu cada centavo.
A única coisa que desabone ela, é que ouvi já de 2 bailarinas profissionais, que são proibidas de usá-las nas cia´s em que trabalham, porque a GM já vem formatada e é muito confortável, fazendo com que algumas bailarinas mais preguiçosas não trabalhem o pé como deveriam, não forçam o colo de pé laaaaaá na frente, ficam onde ela estabiliza, que é um pouquinho pra trás (sinto isso também, mas como minha perna é em x, não me atrapalha.). Mas meu problema "monetário" foi resolvido e meu pé esta bem bonito com ela! Então, estou feliz e espero que ela te traga muitas aulas boas tbm! Grande bj.
Thais FF

Anônimo disse...

Na academia onde faço aula não podemos mais usar gaynor, exceto em apresentações, justamente pelo motivo mencionado acima: ela já vem formatada e a bailarina acaba não trabalhando o pé como deveria. A minha gaynor durou quase 1 ano, a palmilha ta boa até hoje, mas o cetim do calcanhar já rasgou inteiro.... Hoje a maioria das meninas do meu ballet usa toshie ou performance reforçadas, mas nos amamos mesmo a gaynor!

Rafaela Araujo dos Santos disse...

Tenho uma gaynor e já estou partindo para o segundo par. Ela é tudo o que falam, sem exagero algum. Muito confortável, vale adquirir uma devido ao custo benefício e também pela beleza.
Na minha escola a professora libera o uso pq ela acredita que nenhuma bailarina deve sofrer para dançar ballet. Se existe algo moderno que ajuda na performance da bailarina e ainda é confortável, deve ser usado!
Ela sempre fala que bailarina preguiçosa, mesmo com uma GM não consegue fazer os passos corretos. Ela pode até subir na ponta, mas se não tiver encaixada ou ter uma certa força nas costas, não vai conseguir sustentar um belo arabesque, por exemplo.
Enfim, sou fã da GM e recomendo para todo mundo!
Comprei as minhas em um site do Toda Oferta da UOL e foram R$300.
Beijos

Geisa Vitte e Amábilly Furtado disse...

Oi Carol, adoro seu blog muito perfeito e insipirador!!!
Ah, um dias desse eu estava lendo sua reportagem da revista da dança e gostei muito parabens, todo seu sucesso é mais q merecido!!!! Beijoss!!! Muita dança!!!
Amábilly

Ana Carolina disse...

adorei o post!eu b comecei o ballet adulta, estou amando esse mundo de descobertas!parabéns!

Liliane Aurelino disse...

Linda, adorei seu blog, sou nova aqui, mas já esta em favoritos. Lindo tudo, inclusive a decoração do seu quarto:)

Aline disse...

olá amigas, estou voltando pro ballet agora depois de 8 anos parada e unca tnha eito aulade ponta, comecei agora o zero quero mto comprar uma gaynor so que vou compra por uma site de comprar americano, so que estou com duvida a numeracao, vou usar com ponteira de silicone e uso 36 sapato comun, e 8 1/2 sapatilha da capezio vcs podem me ajudar bjs e obg

Juliana cunha Batarce disse...

Uma dica de coração meninas: nunca comprem uma Gaynor pelo site. Ou compre aqui no Brasil, na loja ponta firme (que sai quase o mesmo preço da loja da Gaynor, e se cair na alfandega ainda pode ficar uns 200 reais mais cara como aconteceu com a minha)ou vá até a loja deles e compre lá. É de coração mesmo! Vim correndo aqui evitar que aconteça com outras o que aconteceu comigo. Além do atendimento deles ser muito ruim. Além de muitos problemas, cobraram duas sapatilhas no cartão do meu marido sendo que eu pedi só uma.

Giovana Alves disse...

Estou looooouca pra ter a minha primeira Gaynor, vou em SP na loja Ponta Firme para comprar. Meu colo de pé é fortíssimo e eu fiz apenas 3 aulas na ponta e a minha sapatilha 180 partner da capezio virou papel de tão quebrada, horrível. Quero minha GM logo *-*