quarta-feira, 20 de abril de 2011

as dificuldades

Tenho recebido vários emails de adolescentes e jovens que querem começar a dançar (ou acabaram de começar), mas sentem um certo medo das dificuldades. Sempre me perguntam: "Quais foram suas dificuldades?" Decidi fazer um post a respeito. Espero que responda a todas as perguntas.

Eu comecei a dançar com 21 anos (hoje, tenho 23) e confesso que nunca pensei nas "dificuldades" no começo! Juro! Estava tão feliz de começar no ballet, que não tinha espaço para medos na minha cabeça. Digamos que comecei no ballet de forma bem humilde, sem esperar grandes coisas - ou pelo menos fingia pra mim mesma que não esperava haha.

Sempre fui muito dedicada e apaixonada e, consequentemente, uma das melhores da turma. Não que ballet seja fácil - não é! Já postei por aqui muitas frustrações com relação a exercícios de barra e trabalho nas pontas. No início, tudo é novo e complicado. Mas todo mundo tá aprendendo junto, então, não tem porque sentir vergonha ou medo. Estando numa turma de adultos ou não, todas as alunas ali estão no mesmo nível. Eu também não sentia vergonha. Tive muito apoio do meu namorado e da maioria dos amigos e família, fui uma menina de sorte neste caso. E, para aqueles espertinhos, cheios de opiniões e críticas, eu sempre tinha uma boa resposta, quase que ensaiada. E segui minha vida, meu ballet... Nunca foi uma incógnita pra mim, sabe. Sempre foi tudo muito simples. A paixão supera qualquer dificuldade. Nem sempre me sinto 'a bailarina linda'. Aula passada, estava me sentindo gordinha, achando meu arabesque horrendo e meus peitos, enormes! Mas sabe o que eu fiz? Ri e continuei dançando. Porque é uma bênção poder estar ali. E dificuldade é não poder dançar. :)

*

Ballerinas, queria divulgar por aqui a 5a edição da minha revista virtual, a Lagarta, que acabou de ir ao ar! A edição tem editoriais de moda, maquiagem, entrevistas, colunas sobre viagem, gastronomia e muito mais! Só clicar aqui.

6 comentários:

Anônimo disse...

Olá Carol, e a questão da flexibilidade? Demorou muito pra vc conseguir fazer um espacate? Alongar bem a perna? Encostar a cabeça no joelho? Pq parece que o corpo nunca vai ter elasticidade, vc treinava em casa? Alongava? Abraços

monica disse...

O que na vida não existe dificuldades?? O que na vida fazemos sem enfrentar obstáculos e problemas? No nosso caso, a dança tem como único obstáculo, a dificuldades da aula passada... Melhor dizendo, hoje ele não será mais uma dificuldade, será uma realização, uma conquista! Então... Dancem, sem medo de realizar-se, de dançar prá vc e por vc! O melhor da dança é exatamente isso. Fazer única e exclusivamente pelo amor a dança!

carol lancelloti disse...

Minha professora, Mônica, ballerinas! haha No comentário acima. Adoro.

Tá bem! Farei um post só sobre flexibilidade :)

Beijos

Letícia disse...

Que legal o post, no ballet tem muitas dificuldades, queria que postasse dicas de como melhorar seu colo de pé e meia-ponta? Passa no meu blog http://eutambmdanoballet.blogspot.com bjs

a bailarina disse...

adorei, sempre tem uma dificuldade a ser vencida no ballet nãp importa o nivel...
bjs e até

Bela disse...

e quando eu te chamei de role-model você ficou encabulada! ora essa. pra nós, bailarinas-temporãs (hahaha) você é, sim. ler o meia ponta depois da aula de balé me deixa mais tranquila porque não sou a única que passa esses perrengues!