quarta-feira, 9 de março de 2011

o coque perfeito



Recebi um email de uma leitora durante o Carnaval, pedindo dicas sobre como fazer um coque perfeito e quais produtos comprar. Devo dizer que sou uma negação para cabelos e penteados! haha Foi exatamente esta resposta que dei para ela. Mas, prometi fazer um post a respeito, pois acho muitíssimo importante saber fazer um coque para as aulas e, principalmente, para as apresentações!

Eu sofri até conseguir. E até hoje, não faço perfeitinho não... É preciso muito gel e grampo. Nos dias de apresentação, começo a me arrumar 2 horas antes em casa, em função do coque e da maquiagem. Como não posso fazer isso todas as Segundas e Quartas antes das aulas, meus coques nesse caso vão um pouco mais relaxados. Mas nenhum fio de cabelo cai, isso eu posso garantir! Os coques podem não ter a melhor aparência de todas, mas não deixam nenhum fio cair nos olhos, atrapalhando meus giros ou saltos.

Aula passada, fizemos deboulés. Muitas das meninas estavam fazendo pela primeira vez. A maioria estava com coque mal preso, com tranças ou - imagine - cabelos soltos (curtinhos, mas ainda assim, tente fazer um giro rápido de cabelo solto para ver como seus olhos vão amar essa experiência)! Nem preciso dizer que a maioria sofreu, né? Muitas estavam achando o exercício difícil e eu aposto que era, simplesmente, por causa dos cabelos batendo no rosto. Não há quem consiga se concentrar e girar a cabeça num ponto fixo dessa forma. Coque é fundamental, gente. Não tem desculpa.

Quem me ensinou a fazer coque foi minha primeira professora. E até hoje, faço do mesmo jeito, que é este aqui:

1. Desembarasse todo o cabelo. 

2. Espalhe gel nas mãos e passe pelo cabelo (o necessário para não soltar nenhum fio). 
3. Penteie o cabelo com pente fino e, com uma liga faça um rabo de cavalo bem puxado a 4 dedos da nuca.

4. Depois de preso, faça uma trança folgada ou só torça a rabo, para então enrolar o coque. 

5. Aos poucos vá enrolando e prendendo o coque com grampos até chegar à ponta (esconda a ponta por dentro com um grampo).

a fonte deste texto é o blog Dicas de Dança. Link aqui.




Dica:
é muito mais fácil fazer coque com o cabelo molhado. E sempre tenha uma rede de cabelos em mãos, para dar mais segurança.



Esse foi o coque do desfile da Maria Bonita Extra de inverno 2011, inspirado nos ensaios e dia-a-dia das bailarinas. Sem a redinha, ele fica praticamente assim, como se fosse uma cobra enrolada. fonte da imagem aqui.

Conheci uma bailarina que tinha um cabelão e, por isso, prendia primeiro o rabo de cavalo e depois dividia em várias partes e ia prendendo-as separadamente... Não entendi direito a técnica, por isso, não saberia explicar exatamente aqui. Mas o que quero dizer é que há outras maneiras de se fazer. Pensando nisso, separei também um video bacana que mostra várias bailarinas fazendo coques de maneiras diferentes. Ver como se faz torna tudo mais fácil, né?



Dica 2: Quem tem cabelo curto também pode abusar do gel e dos grampos! E para apresentações, as professoras recomendam que essas alunas comprem um coque falso, para ficar tudo homogêneo no palco.
Afinal, bailarina sem coque não é bailarina, certo?

18 comentários:

Gabrielle Nemer disse...

Certíssimo Carol. Meu professor me disse, que na Alemanha as alunas possuem cabelo comprido e que os professores não permitem coque falso e exigem ver o cabelo delas quase que frequentemente.

Adorei as dicas. Sempre que faço coque, ele não fica redondinho, mais nenhum fio cai, e eu sempre coloco redinha preta, da cor do meu cabelo. Sem contar que cabelo preso ajuda e muito. Meu professor sempre diz isso. E diz também que ajuda a melhorar a postura. Por isso quanto mais comprido o cabelo for, melhor é, porque o coque aperta e dessa forma alonga a coluna, se é que me entende. É como se puxasse alinhando a bailarina.

Beijos.

P.s.: Sou do blog ballet por todos os cantos, e obrigada por responder meu e-mail. Logo mais eu lhe envio um com agradecimentos. E já tomei minha decisão. Obrigada mesmo.

Cássia disse...

Eu tenho sérias restrições em usar gel toda vez que faço coque, porque tenho cabelo crespo e não lavo todo dia. Na época em que tinha aula e ensaio de segunda a sábado, isso acabava com o meu cabelo. Também não molho o cabelo não, eu só umedeço a parte de cima e uso um pente bem fino para fazer o rabo de cavalo. Então eu torço, uso só três grampos e coloco uma redinha beeeeeeem fininha. Para os fios do alto da cabeça não ficarem "soltos", em vez do gel, uso um pouquinho de creme para pentear. E hoje em dia há uns sprays fixadores que não danificam o cabelo. Dá certinho.

Beijos.

a bailarina disse...

adorei as dicas carol, eu tenho este probleminha, pois meu cabelo é cacheado definido, para deixa-lo 'lisinho' na parte da frente é só na base é spray, mas já até me acustumei a este dilema...
bjs e até
p.s: adorei a nova cara d seu blog..

carol lancelloti disse...

Cassinha, eu tb não molho não! Só em dia de apresentaçäo mesmo. E uso o gel pelo custo-benefício, mas também prefiro spray... To fazendo duas vezess na semana so. Ai, o gel não danifica tanto.
Gabrielle, adorei seu comentario! Curioso pensar que o coque ajuda a postura!
Beijo!

audrey disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
audrey disse...

Nossa Carol, eu tenho o cabelo super curto, (chanel) e pra mim fazer um coque é um parto, sempre acaba escapando algum fio, mesmo usando um milhão e meio de grampos, rs.
Eu normalmente amarro um rabo BEM apertado e abro tipo uma flor no cotoquinho de cabelo e prendo as pontas com grampos, e coloco a redinha, jsdhljsda.
mas nossa cabelo solto não dá não.

Ju Sales disse...

Carol e Cassinha cabelo é muito cada um com o seu né, mas descobri um gel da marca bioextratus que praticamente não danifica o cabelo porque ele é meio creme meio gel (não me lembro direito, mas uma coisa assim), lembro-me de não ter comprado muito caro.
Carol, quanto a repartir o cabelo em mechas pra fazer o coque não tem mistério, você segue direitinho o que você ensinou aí e as outras mechas (em geral três no máximo) você enrola em torno do primeiro coque.
Pra quem gosta de fazer bonitinho e tem bastante cabelo é bacana até dividir em duas mechas fazer o primeiro coque normal e o segundo coma mecha em forma de trança, fica parecendo uma moldura do coque que você fez.

Ai, tô tagarela hoje...
Espero ter ajudado beijinhos!

Ballerina disse...

Oi Carol! Obrigada por responder o meu e-mail e também por fazer o post, ajudou muuitão! Agora quero ver minha professora mandar alunas para fora da sala de aula por causa de cabelo atrapalhando hihi, já passei o link do post para todas as bailarinas :)
Parabéns pelo blog!
beijos.

Geovanna... disse...

coquee?? simplismente naum é meu forte rs

acho que esse é um dos meus piores momentos: fazer um coquee e ainda mais perfeitoo rs

mas é questão de pratica neh?

e acho mais dificil por causa do meu cabelo qe é lisoo e vive "escorregando" rs

obrigada pelas dicas
beijoo

izabel disse...

dividir o rabo em 2, ou 4 ajuda muito pra nao escapar nada do coque! é só dividir e enrolar normal e ir prendendo... como se aquela parte do cabelo fosse o rabo inteiro, sabe? e pro rabo ficar bem esticado eu prendia ele com a cabeça pra baixo

clara vitória disse...

nossa carol, valeu pela dica ! eu me mato pra fazer um coque bonito e por isso sempre saio de casa atrasada !

Nohara Coelho disse...

Hehehe, muito útil esse post!
Uma coisa que eu aprendi foi: grampo é tudo na vida da bailarina! Não dá para economizar!
Me amarro no canal do Anaheim Ballet x] Qualquer hora, pretendo tentar esse último coque do vídeo, muito estiloso :P
Obrigada, Carol ;]

Marília disse...

Muito útil esse post, tenho muita dificuldade em fazer coques.
Meu cabelo é bem comprido e liso e, mesmo com tantos grampos, ele desliza e se desfaz. Rs
Vou tentar algumas das técnicas mostradas no vídeo.

Obrigada.

Thamara Gago disse...

O coque da primeira bailarina, a Lizzy, achei beeem ruim. O da segunda, a menina que tem cabelo crespo, ficou pior ainda. Ela deveria ter jogado o cabelo todo para trás ao invés de deixar repartido para o lado, pois até mesmo no vídeo mostrou a franja caindo. Da terceira não é um coque, aquilo é um bololô no cabelo...rs. Se eu chegasse com aquilo na academia teria que voltar pra casa...rs. Eu uso o método de amarrar num rabo de cavalo com uma elastico com dois grampos na ponta, (o maior erro das bailarinas é usar elásticos de cabelo normais, pq eles criam mt volume no meio do coque e não deixa que ele fique bem rente a cabeça e acaba ficando frouxo), depois divido meu rabo em três (tenho bastante cabelo e cumprido)e vou enrolando cada parte e prendendo com bastante grampos. Não uso gel pq com essa técnina prende bem e fica ótimooo. No início me enrolava um pouco pra fazer, hoje em menos 5 minutos eu faço e todo mundo elogia e pede pra eu fazer nela! rs
Espero ter ajudado!

Dani disse...

Carol, faz um tempo que venho seguindo seu blog silenciosamente -- desde que vc saiu no blog da Melissa, pra ser mais exata! Estou adorando e tenho que agradecê-la: eu era uma daquelas meninas que nunca fez ballet na infância e achava que não dava para começar depois de adulta. Só posso dizer "Obrigada"!

Enfim, faz um tempo já que estou com um grampinho atrás da orelha esperando um post seu sobre o assunto, mas já que ainda não saiu... Me desculpe o off-topic, mas é vc nesse grand écart lindo?! Vc tem alguma experiência com dicas/vídeos/livros da Lisa Howell?

Vi que vc a citou em um post lá nos primórdios do blog sobre como melhorar o en dehors, e até já testei aquela coisa da massagem no pescoço para "soltar" os nervos e melhorar o grand écart, mas como vc está nisso há mais tempo e buscou vários livros e tal achei que poderia teria algo a contribuir sobre o assunto... Quem sabe quando sobrar um tempinho pra mais um post de dicas?

Taí um bom motivo para eu normalmente ser seguidora anônima de blogs: quando escrevo, geralmente me "empolgo", desculpe! x:

Lulu disse...

Carol, esse último coque que vc falou é o que eu mesma faço, por recomendação da minha professora,pois eu tenho cabelo comprido e MUITO cabelo, e quando eu fazia o comum e era dia que aula de chão eu não conseguia ficar deitada direito...
O que eu faço é: Eu prendo o cabelo em um rabo bem apertado no alto da cabeça, bem no cucuruto (eu prefiro assim, mas dá pra fazer no meio e na base tbm), aí eu pego mechas, meio grossinhas, pra não precisar prender muitas vezes, e, mecha por mecha, eu passo um pouco de gel por causa dos fiapos e enrolo, enrolando tbm em volta do rabo. Repito isso umas 6 ou 7 vezes, e o coque fica igual a uma florzinha. No fim, como eu nem gosto de aparecer, eu boto um enfeitezinho =).
Beijos, Lu.

Anônimo disse...

Em dias de apresentacão eu uso o clássico coque banana, é muito fácil de fazer e super elegante! Você penteia o cabelo todo e puxa para um lado, bem penteado mesmo, depois poe uns grampinhos para prender ele desse lado, como se fosse amarrar p lado mas na verdade voce ämarra" com grampos; depois vc vem enrrolando o cabelo fazendo uma espécie de cone nele, com o polegar no meio, vem enrolando até onde der e no caminho coloque muitos grampos da cor do seu cabelo para prender bastante. fica lindo e combina com qualquer tipo de cabelo e tamanho. Não uso gel.

Kika Butterfly disse...

Meu cabelo rebenta com esses amarradores então faço o rabo-de-cavalo com atilho e grampo (faço de um jeito que não enrosca no cabelo). Daí o coque faço conforme o humor do dia... mas o melhor é usar redinha.