quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

a primeira aula numa nova escola

Eu estava com medo da minha primeira aula de ballet aqui em Brasília. Eu sou toda ansiosa, toda insegura, né? Mas posso dizer que foi ótima! Dei muita sorte. A minha nova professora, a Mônica, tem uma trajetória parecida com a da Natália. Ela abriu uma academia bem nova, aos 20 anos e também tem uma visão menos tradicional a respeito do ballet. Ainda assim, ela explica a técnica com toda paciência durante as aulas. E gostei bastante do fato dela comentar os métodos (disse que lá o método usando é o Vaganova, com algumas influências do Royal) e explicar um pouquinho mais sobre pontas (porque, vamos combinar que as professoras falham nesse quesito). Como as meninas estão começando, precisam de indicações. Achei muito legal da parte dela indicar não só pontas nacionais, como as produzidas lá fora também (citou a Freed e a Gaynor). Já dá pra perceber que o poder aquisitivo aqui em Brasília é outro, né? Para uma professora de dança indicar em sala de aula uma Gaynor... haha

A única coisa que não gostei muito é que a turma é grande. Um número bom, pra mim, é no máximo 6 alunas. Lá, devem ter umas 10, no mínimo. A faixa etária nem é tão adulta assim. Acho que só devem ter duas meninas com a mesma idade que eu. O resto, é tudo teen. haha Só que todas se dedicam e estão ali de corpo e alma. Isso já me animou bastante! Está decidido que vou ficar lá. Só não perguntei se estamos seguindo algum nível...

A aula de ponta é só semana que vem, para meu desespero. haha Queria começar logo!

:*

13 comentários:

milla disse...

Oi Carol, faz um tempo que aacompanho seu blog e ele me inspirou a voltar pro ballet depois de três anos parada. Minha primeira aula também foi ontem, e eu percebi o quanto vai ser difícil pra mim agora que estou maias ''velha'', mas eu to tentanto ser melhor do que eu era antes... rsrsrs
Fico feliz por você

beijos

ballet por todos os cantos disse...

Ai Carol que bom que gostou, fico feliz! Jaja tenho minha segunda aula de ballet, comprei varias coisinhas (sou boba viu kkk) enfim estou amando esse mundo! Ah voce esqueceu de dizer, ja vai usar a gaynor na aula ou a toshie? Beijos

Kelly disse...

Ai eu adoro o seu blog Carol, você já deve saber né? Te pedi conselho de se devia dançar Swan Lake e tudo mais. Brasília é bem perto aqui de Goiania. Eu já conheço o estúdio. Minha prima Letícia (só que você não vai conhece , ela está na turma infantil) , isso se ela ainda estiver ai. Eu te desejo muita boa sorte na sua proxíma aula de ponta^^. Use sua gaynor, embora gasta-lá pra mim seja um pecado. Meu sonho é ter uma. Ah! E só para falar se você ainda não está gostando 100% de Brasília, espere um pouquinho ,tenho certeza que você vai amar. Porque ai é um otimo lugar para viver. Beijos

*May Lopes disse...

A minha turma é bem reduzida (somente tres meninas) e acredito que isso tem ajudado a avançarmos nas pontas.
Boa sorte na aula de ponta e vem contar pra agente!
Beeijos!

Layra disse...

Oi Carol, tudo bem?!
Tenho uma dúvida... só fiz ballet quando era criança, mas atualmente faço uma bailarina em uma peça de teatro. Consigo subir e me equilibrar na ponta do pé com sapatilha meia ponta e com outros sapatos e gostaria muito de usar uma sapatilha de ponta no espetáculo. Você acha que eu devo?!
Desde já muito obrigada!

Marcelly Rosa disse...

Ballet Faz agente Respirar Melhor.!

Amei seu bLOG *

Estou te seguindo
Me segue Tbm.

Beijos Cor De Rosa...!

hppt://marcellyrosa.blogspot.com

Rafael Queres disse...

Caros, boa tarde. Peço licença para comunicar algo que pode ser interessante aqui no blog. Trata-se de Calígula, do Balé da Ópera de Paris, que será exibido no dia 8 de Fevereiro (às 20:30h), nos cinemas do Brasil. É a primeira coreografia de Nicolas Le Riche da Étoile Dancer.
___
Construída como uma tragédia, a coreografia acompanha a inexorável progressão deste herói solitário a caminho da morte. Acompanhado por “As Quatro Estações”, de Vivaldi, que ilustra a irremediável passagem do tempo, a dança, em toda sua profundidade e energia, traduz a poesia e a violência inerente numa vida consumada pelo excesso numa velocidade impressionante.

Caso queiram entrar em contato comigo, estou à disposição.

Abraços,
Rafael Queres - LiveMOBZ
http://www.mobz.com.br

Silene disse...

É bem ruim quando a sala é cheia mesmo, mas ja que você gostou está otimo neh =D
Acredita que estou ficando ansiosa para saber sobre sua aula com a Gaynor...rsrsrs
A Toshie vai ficar guardada agora?

Beijo

clara vitória disse...

boa sorte na sua nova escola carol!
tenho certeza que você vai se acostumar rapidinho, e eu espero ansiosa pra saber sobre sua primeira aula de ponta em Brasília!

beijos *-*

www.amor-adanca.blogspot.com

Day disse...

ADOREI ESSE BLOG, um verdadeiro achado!

Daniela Copette disse...

Olá Carol, adorei seu blog, e queria uma opinião sua! É o seguinte. Tenho 18 anos, vou fazer 19 anos em julho, e eu sempre gostei de ballet, sempre achei lindo a postura das bailarinas, mas eu sempre tive vergonha de começar a dançar porque eu sempre achei que eu nunca teria elasticidade e que as iniciantes são sempre novinhas. Essa semana eu conversei com uma professora de ballet pra saber se eu poderia começar a fazer a dança, saber se minha idade atrapalhava em relação as outras meninas, e ela me disse que eu teria mais dificuldade sim, mais que nao tinha problema em eu fazer. Pois bem, fique animada com isso, falei pra minha mãe ela deu um risinho mais nao botou fé no que eu falei, falei pro meu namorado e ele tambem nao botou fé em eu começar a fazer ballet por causa da postura, e que nao daria certo e blá blá blá. Com isso acabei desanimando um pouco. Pelo que eu vi de você, que faz 2 anos que você é bailarina, você começou com 21? foi isso? Gostaria de saber o que você acha de eu começar a fazer com 19 anos, e quais foram sua dificuldade quando você começou a dançar. Se puder me responder por e-mail dany_copette@hotmail.com . Gostaria de uma opinião sua. Obrigada desde já!

Leticia disse...

Carol
Já passei pela ansiedade de trocar de escola uma vez. Agora estou numa escola e ela é beeeeem longe de casa (a aula termina as 10 da noite... pego o carro e ainda são mais 40 minutos até a minha casa). Por enquanto, estou evitando pensar na troca... principalmente que morro de medo por conta dos níveis, cada escola tem um sistema de nivelamento, principalmente para adultos... o meu marido sempre me pede para mudar, existem 3 escolas muito próximas de casa (uma é vizinha, dá para escutar a música da janela do meu quarto), mas ainda me sinto insegura de pensar em mudar de escola.
Boa sorte por lá!!!
Beijos
lelê

Cássia disse...

A Freed é meu segundo sonho de consumo, hehehe. Bacana que você gostou da escola, da professora, porque isso faz uma imensa diferença. Mas são 10 alunas em uma sala grande ou numa sala pequetita? Eu já fiz aula em sala pequena, um horror! Mas se não for, talvez nem seja um grande problema, se a professora for atenta e cuidadosa o suficiente.

Beijos.