domingo, 13 de fevereiro de 2011

a 1a aula com a Gaynor e meu probleminha anatômico

Ok, tô com ódio que metade do post foi perdido porque o computador desligou. Mas, vamos ver se consigo reescrever.

Quarta-feira passada foi minha primeira aula de ponta depois das férias. Como a maioria das meninas estavam em sua primeira aula ever, pegamos bem leve - o que foi bom. Pude sentir cada músculo e trabalhar mais meu equilíbrio. A Gaynor é realmente bem mole e confortável, como todo mundo diz. Como estava certinha no meu pé, não pude colocar a ponteira de espuma da Capézio que costumava usar. Então, enrolei alguns dedos no esparadrapo mesmo (como também fazia, por baixo da ponteira - pra vocês verem como meus pés "rasgam" fácil). E sabe que foi até tranquilo fazer aula assim? Os dedos só começaram a doer no final dos 20 minutos - quando já era hora de tirar as sapatilhas. Foi bacana ver minha professora batendo com um martelinho nas caixas das pontas das meninas, pra ajudar a amolecer. Lembrei de como demorei pra amolecer minha Toshie (lembram do sufoco?). A Mônica disse que uma ponta deve amolecer em, no máximo, 3 ou 4 aulas. Se não, tem alguma coisa errada.

No intervalo de troca de sapatilhas, decidi perguntar (novamente) a respeito do meu probleminha anatômico. Já falei dele por aqui, inclusive mostrei em fotos: Meu pé esquerdo é torto, cai pra dentro e, consequentemente, me prejudica muito nos pliés e grand pliés. Minha professora analisou e disse que ele praticamente vira um pé chato e me indicou uma palmilha pro dia-a-dia. Finalmente, alguém me deu alguma solução!!! Já fui em médico grosso, ignorante, que disse de maneira muito insensível (quanto eu tinha 15 anos) que isso era genético e que não tinha jeito, que a única coisa que se podia pensar era em operar e colocar um pino (!). Já ouvi que estava sendo fresca... Esteticamente, como quase ninguém reparava, isso não me incomodava mais. Mas quando vi que estava tendo muita dificuldade no centro para fazer exercícios básicos do ballet, decidi correr atrás disso. A Mônica disse que, como ainda tenho 23 anos, isso pode ser amenizado. Depois dos 25 que não tem mais jeito mesmo. E, durante as aulas, por enquanto, ela me recomendou a não descer tanto nos grand pliés, só ir até o pé não cair (o que é quase nada, praticamente um plié, pra vocês terem noção!) Porque não adianta nada não estar executando o exercício de forma correta, né?
Confesso que isso me desanimou bastante. Ainda vou procurar a palmilha e manter o pensamento positivo para não ser cara e para funcionar.

Não estou nos meus melhores dias. Mas é bom desabafar por aqui.

Beijo e bom final de Domingo.

8 comentários:

Ana Curcelli disse...

A funcionalidade é o mais importante!! e o que sempre digo pras minhas alunas: nunca perca o arco interno (nem nos pequenos e nem nos grandes movimentos). Bj!

Vaílent'ne DilanCoouver disse...

oiee!! Nossa eu quero uma sapatilha dessas pra mim rsrsrsr
Viu... nunca desista!!! pra tudo nessa vida tem uma solução... não desanime do ballet...esse é o meu conselho de leitora fiel do blog

Anastácia disse...

Oi!
Bem, eu sou bailarina há mais ou menos 1 semana (sim, só isso! haha). Mas já estou completamente apaixonada pelo ballet, eu me sinto tão bem, tão confortável quando eu o danço. E essa semana depois de ver Black Swan, fui procurar blogs sobre ballet. E encontrei seu blog e realmente amei! Já vi/li todos os seus posts, e tenho que dizer virei sua fã, rs.
Eu também tenho um blog, mas não é sobre dança mas sim sobre livros, uma das minhas maiores paixões.

Bjs

marcelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silene disse...

Eu li seu post muito ansiosa, imaginando a aula, fiquei feliz pela sua Gaynor como se fosse comigo =D
Nao desanima nao Carol, agora vc ja tem uma solução para seu pé.

Beijo

Aninha disse...

Oi Carol....parabéns pelo Blog que acompanho antes mesmo de eu pensar em criar um rsss....começei ballet em 2009 com 25 anos, hj com quase 28 estou tb na luta com o meu pisar torto e o qt isso me prejudica no ballet, tanto que ano passado procurei um ortopedista que tb não foi lá muito amistoso, pediu umas radiografias e que por insistência minha me prescreveu uma palminha em molde de gesso...custou 120....e o material é semelhante a um EVA, usei apenas no inverno pq ela só cabe em tenis ...no começo ela segura o pé e não deixa vc virar(eu piso torto para fora), mas com o uso ( e pouco)ela cede para o lado que segurava e então perde a sua função....resultado : parei de usar e acabo tentando adquirir a consciencia de me corrigir ao andar e tentar pisar correto,o que é muito raro e difícil tb !!!!
Tb fico triste porque me prejudica nos eleves e releves onde a minha tend~encia é cair com o peso do corpo sobre o dedinho e na ponta isso é muito prejudicial....Mas não desanina não....você pode tudo...veja aonde chegamos,,,,bailarinas adultas.....quem pensava que podiamos tanto, né!!!!sabe esse ano pensei até em desistir, pela correria do dia a dia, pelo cansaço e pelas minhas limitações tb...quase não voltei....fiquei 2 meses sem ir , mas o amor ao ballet falou mais alto e retornei.....e é isso que deve nos mover,,,,esse desejo de superar nossas limitações, pois essa é a filosofia do ballet: superação....então não desanima , nem se entristeça, pelo que eu acompanho no seu blog vc é uma bailarna hiper dedicada e deve ser muito boa nisso!!!!Parabéns!!!
Ai que bom que vc tá usando uma gaynor...tenho muita vontade de comprar uma....mas aqui em Londrina onde moro não vende, e tenho receio de comprar pela net, pelo fato de não experimentar....pq tenho joanetes e a base larga do pé....por isso uso uma capézio box ( que não trabalha quase nada a força do pé), mas eu tentei uma da só dança ( grisi) para iniciantes , mas foi um horror....a caixa estreita apertava todos meus ossinhos...e principalmente a joanete....
A minha professora tem uma da chaccot, e ano passado ela quis tirar uma foto com a gente em ponta, e eu não tinha levado a minha.Aí ela me emprestou para eu colocar, mesmo sem ponteira uma dela...e foi essa a Elvira da chacott...é bem confortavel, mesmo sem ponteira, base larga....a minha joanete ficou livre, leve e solta...rsss....porém a dela era uma palmilha super reforçada....o que me fez subir sem quase curva- la.....rsss( tadinho do meu pé fraquinho....).Aí procurei na internet, pq sabia o tamanho, só que não consegui achar a palminha s ou ss( que seriam as mais flexiveis e para iniciantes)....no evolution pirueeteee só tinha a m, h e hh....aí por enquanto não comprei...tenho medo da m que corresponde a dureza média ainda ser dura pro meu pé e eu não coinsegui subir,,,,,então continuo na luta com a escolha da sapatilha que melhor se adpte ao meu tipo de pé.....desculpe o texto enorme....é que acabei me empolgando com a conversa...pois parece que é como estivessemos aqui...lado a lado conversando....rssss
]boa noite e bjos

monica disse...

PAra tudo temos solução! O importante é não desistir!! Afinal somos bailarinas brasileiras, e brasileiros não desistem NUNCA! HEHEHE
BEIJOOOO DA PROF!

Anônimo disse...

Ahhh, que linda a foto do blog! É você?